Artigos Periféricos

[Review] Teclado T-Dagger Bora

Fala pessoal, tudo certo?

Nesse artigo irei análisar o T-Dagger Bora T-TGK313-BL, que trata-se de um teclado mecânico ABNT2 (com “Ç’) no formato TKL (sem teclado numérico) de entrada, com construção em plástico, switches Outemu e iluminação em cor fixa. Será esse um bom teclado? É o que vamos descobrir! 🙂

  • Unboxing:

A embalagem trás em sua frente uma foto destacando o produto, tal como o seu modelo e os switches, que no caso da amostra em questão, utiliza o Outemu Blue (Clicky). Na parte de trás, temos destaque a algumas “features” do produto e também fotos do produto com as diferentes cores de backlight disponíveis, no caso desse exemplar, a iluminação é em ciano.

Ao abrir a embalagem, nos deparamos com o teclado embalado por plástico bolha, manual impresso, cabo Micro USB e uma pequena embalagem com cinco switches sobressalentes além de ferramentas para remoção desses e das keycaps, o que é algo útil na hora de se fazer a manutenção do teclado.

  • Hardware:

Como disse anteriormente, o T-Dagger Bora é um teclado no padrão TKL ou 85%, já que o “tamanho” do teclado também pode ser indicado pela porcentagem em relação do “full-size”, que é aquele com teclado numérico, e nas fotos abaixo, é possível ver que a sua estrutura é toda em plástico e alguns detalhes como o logo do fabricante gravado na barra de espaço além dos leds indicativos de caps lock e scroll lock na lateral.

Esse teclado apresenta o design no padrão de “teclas flutuantes”, que é esse onde parte do corpo do switch fica visível, sendo bastante comum de se ver nos teclados mecânicos destinados ao público gamer, tanto por conta do apelo visual quanto por contenção de custos, afinal de contas, economiza-se  uma “top plate” que seria responsável por “esconder” a base dos switches.

A parte inferior do teclado é composta de uma peça plástica onde existem apenas duas pequenas borrachas nas laterais e próximo de onde seria a barra de espaço e referente a sua aderência, ao menos para uma superfície de madeira foi bastante aceitável.

Além disso, a conexão do teclado é feita a partir de uma porta Micro USB e relativo a isso, considero que o fabricante poderia ter adotado conexão USB-C logo de uma vez, afinal de contas, esse conector não ter um lado especifico para o encaixe do cabo como ocorre no padrão Micro USB. Por fim, os “pezinhos” responsáveis pelo ajuste de altura são de plástico e cumprem seu papel.

As keycaps utilizadas são de plástico ABS com impressão doubleshot, que basicamente trata-se de um processo onde a keycap é prensada em outra peça plástica transparente com o caracter e a vantagem é que esse processo anula a possibilidade delas descascarem e se tornarem ilegíveis com o tempo, entretanto, elas ainda são de ABS e por isso apresentam tendência de apresentarem um aspecto “brilhoso” com o tempo.

Como dito anteriormente, os switches utilizados são fornecidos pela Outemu e são clones dos modelos oferecidos pela Cherry. A principio, essa marca era conhecida por oferecer qualidade bastante razoável perante aos originais por um custo menor, o que fez com que a demanda pelos switches Outemu aumentasse consideravelmente, acarretando em alguns problemas no que diz respeito ao controle de qualidade e isso se refletiu em diversas threads no Reddit e em fóruns especializados de pessoas reportando problemas de “double click”, que é quando você pressiona a tecla apenas uma vez e isso produz mais de um acionamento na prática, switches inconsistentes dentro de um mesmo lote (imagine você ter um teclado com diferenças perceptíveis no acionamento de cada tecla) ou até falha total do componente.

Tudo isso parece ruim, entretanto, esses relatos em sua maioria datam de 2016~2017 e vários fabricantes que utilizam esses switches Outemu de baixo custo trataram por oferecer soluções como a do T-Dagger Bora, basicamente, oferecendo partes sobressalentes junto ao teclado e também as ferramentas para que o próprio usuário efetue a troca dos switches com facilidade, então, considero que o problema foi mitigado de maneira razoável, ao menos no que diz respeito ao reparo de possíveis falhas.

No caso do T-Dagger Bora, a variante dos switches que foi empregada nessa amostra é a azul, ou seja, “clicky”, teoricamente com 60cN de força de atuação.

Os estabilizadores, que nos teclados mecânicos se referem a algum tipo de “apoio” extra para as keycaps longas (exemplo clássico: barra de espaço) não ficarem “dançando” ao serem acionadas pelas extremidades, são do tipo “Cherry” e utilizam “cruzinhas” similares ao encaixe do switch, porém, localizados nas extremidades da keycap. O acionamento das teclas que utilizam estabilizador foi bastante suave mesmo “forçando a barra” ao pressionar as teclas pelas bordas, o que é um ponto positivo.

Sobre o processo de desmontagem, ele é bem simples, bastando remover apenas as keycaps necessárias para acessar os doze parafusos que unem as duas partes do teclado, no caso desse artigo, removi todas as keycaps pois era necessário para descobrir onde estavam os parafusos, entretanto, a foto do “mapa do tesouro” está bem ai para os aventureiros que o tiverem em mãos. 🙂

E por fim, relativo a sua construção interna, a qualidade de solda do pcb é bastante aceitável, sem soldas quebradiças ou frias. Sobre o microcontrolador utilizado, infelizmente não foi possível identifica-lo por conta da marcação do chip estar ilegível nesse modelo.

  • No uso:

Por fim, segue um pequeno vídeo demonstrando como o T-Dagger Bora se sai durante o uso, basicamente, a ideia aqui é lhes mostrar detalhes como o barulho de digitação, que é algo bem único de cada teclado por conta das diferenças entre as keycaps, switches e “chassis”, e também, mostrar como é a iluminação backlight.

O ruído de digitação apresentado é um tanto quanto alto por conta das caracteristicas do switch utilizado (clicky), portanto, não aconselho o uso desse teclado em ambiente de trabalho ou perto de outras pessoas que eventualmente possam se incomodar com o barulho.

  • Conclusão:

Diante do apresentado, foi possível chegar nos seguintes pontos:

  1. Relativo ao design e usabilidade, toda a estrutura do T-Dagger Bora é em plástico sem “firulas” com “teclas flutuantes”, a iluminação não é RGB, porém, cumpre bem seu papel e esse teclado usa o padrão ABNT2 ao invés do ANSI, o que implica que ele tem o “Ç” e a keycap do “Enter” apresenta formato de “L invertido”
  2. Sobre a qualidade de construção, é bastante aceitável para um teclado mecânico de entrada ou para aqueles que estão entrando nesse mundo agora. Os switches utilizados são os Outemu Blue, que são basicamente clones de baixo custo dos Cherry MX Blue, cujo fabricante possui algum histórico de problemas de QA (Quality Assurance) de alguns anos atrás, entretanto, a T-Dagger envia switches sobressalentes e as ferramentas necessárias para substituição desses juntamente ao teclado, o que de certa forma mitiga esse problema. Um aspecto legal desse teclado é que o cabo é removível, algo que não esperava encontrar em um modelo de entrada como esse.
  3. A respeito do preço, o T-Dagger Bora se encontra em promoção na Terabyte por R$159,00 (15/05/2020), o que é um valor bastante razoável para um modelo de entrada, especialmente se considerarmos o atual cenário de incerteza generalizada e alta do dolar, então, se o que você procura é um teclado razoável, com boa proposição de valor e não se importa, ou até mesmo se agrada, do ruído do switch azul, esse produto provavelmente não te decepcionará.

Gostou desse artigo? Ele lhe foi útil? Contribua com o apoia-se da página para que seja possível continuar trazendo novos conteúdos aqui na The Overclocking Page!

26 comentários

      1. Olá Vinícius,

        É só substituir que está tudo certo.
        Infelizmente, como disse no review, a Outemu anda pisando em ovos no que diz respeito a QA e por essa razão, teclados com esses switches só são uma opção a se considerar se forem baratos e oferecerem switches sobressalentes junto ao teclado.

        Curtir

  1. Comprei ele em uma promoção por 149,90, aproveitei e comprei 2.

    Com relação a construção e qualidade oferece muita coisa por um preço decente , quanto a usabilidade fiquei muito feliz com o cabo removível ajuda muito em viagens, as teclas são meio barulhentas mais depois de 1 semana já nem me irrita mais .

    Ótima analise, só ressaltou a felicidade da compra. 🙂

    Curtir

    1. Olá Guilherme,

      Citando diretamente o texto do review:
      “Tudo isso parece ruim, entretanto, esses relatos em sua maioria datam de 2016~2017 e vários fabricantes que utilizam esses switches Outemu de baixo custo trataram por oferecer soluções como a do T-Dagger Bora, basicamente, oferecendo partes sobressalentes junto ao teclado e também as ferramentas para que o próprio usuário efetue a troca dos switches com facilidade, então, considero que o problema foi mitigado de maneira razoável, ao menos no que diz respeito ao reparo de possíveis falhas.”

      Inclusive tem uma foto logo abaixo mostrando o switch removido, entretanto, pelo que pesquisei, isso é compatível apenas com switches Outemu pois parece que os terminais deles são mais finos que o de outros fabricantes.

      Curtir

  2. Eu fui sorteado, comprei o meu na kabum dia 22/06
    teclado chegou hoje 24/06
    mas o teclado simplesmente não liga
    testei em mais de uma usb, mais de um notebook
    testei com outro cabo e nada!
    Fui sorteado!!!!!

    Curtir

  3. Ola amigo, recentemente adquiri um Teclado desse e ele no momento atual, ele possui software sim! Acredito que agora voce possa atualizar a sua excelente matéria, comprei sem ter visto essa pagina mas com certeza depois de ler da vontade até de comprar novamente hahaha show de bola, parabens pelo trabalho.

    Curtir

  4. comprei o teclado, mas acabei por descobrir que o switch blue não é preferencia para o jogo que eu jogo. gostaria de saber se trocar alguma tecla por red switch nele funcionaria?

    Curtir

  5. Olá, comprei esse teclado faz um 5 meses, começou a dar problema após quase 4 meses de uso. Quase todas as teclas falham, ou da clique duplo. Já troquei as que vieram de reposição mas não resolveu, até porque veio 3 apenas, e 70% do teclado está dando problema ¬¬.
    No demais a qualidade é boa pelo preço. Já acionei garantia, vamos ver como vai ficar

    Curtir

  6. Chegou a dar um mini ataque cardíaco ao ler na sua matéria “iluminação estática”, tive que correr para ver o modelo do teclado que comprei kk 315, ufa! Sim pessoal, o que tem software e luzes rgb é o 315 não o 313. Grazadeus kk. Ótima matéria!

    Curtir

  7. Olá, uma dúvida: É possível remover o PCB do plate superior?
    Estou pensando comprar esse teclado e no futuro brincar e dar uma customizada nele, fazendo outro case e tal.
    Abraços e parabéns pelo review, muito completo!

    Curtir

  8. Olá Giancarlo, tenho uma dúvida, meu teclado é exatamente o seu modelo, depois da configuração de iluminação (WASD – lado esquerdo) e (lado direito), teclas iluminadas. depois dessa configuração de iluminação vem uma muito louca aqui sem sentido, sabe sem tem como configurar a teclas que fique acesas somente as desejadas? Não consegui ajustar. o Lance do Software não consegui achar de forma alguma.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: