Memórias Reviews

Guia de memórias DDR4 – Qual e como escolher? – Resumo dos chips

...Aproveitando que nos últimos anos muitas memórias DDR4 passaram aqui pela página, com grande variedade de fabricantes, chips e diferentes faixas de preço, surgiu a ideia de fazer uma espécie de "apanhadão" sobre memórias, visando ajudar o leitor na escolha do kit de memória ideal, meio que tecendo um resumo geral entre tudo o que já foi testado, suas características e outras observações, então vamos lá... Continue lendo!

Fala pessoal, beleza?

Apesar de as memórias DDR5 terem chegado ao mercado, não existe nenhuma dúvida de que as DDR4 continuam relevantes, afinal, até o momento, apenas os Alder Lake suportam o novo padrão, apresentando diferenças não muito significativas no que diz respeito ao desempenho em relação ao antigo padrão, enquanto o seu preço ainda é um bom tanto maior que o das DDR4 com a disponibilidade ainda sendo um problema.

Aproveitando que nos últimos anos muitas memórias DDR4 passaram aqui pela página, com grande variedade de fabricantes, chips e diferentes faixas de preço, surgiu a ideia de fazer uma espécie de “apanhadão” sobre memórias, visando ajudar o leitor na escolha do kit de memória ideal, meio que tecendo um resumo geral entre tudo o que já foi testado, suas características e outras observações, então vamos lá!

  • Capacidade

A primeira dúvida que muitos devem ter é com relação à capacidade, afinal, quantos GB de RAM preciso ter em minha máquina? A resposta dessa questão recai sobre o uso da máquina, por exemplo, se você joga apenas títulos de eSports como League of Legends, Fortnite ou CS:GO ou mesmo se não joga e usa o PC apenas para o básico, internet e aplicativos de escritório, então, 8 GB de memória já devem dar conta do recado com razoável tranquilidade, contudo, se o objetivo for rodar jogos AAA, ai será necessário investir em ao menos 16 GB de RAM, sendo necessário ir além, especialmente se o intuito for trabalhar com edição de vídeos em 4K, lidar com várias VMs simultaneamente ou mesmo renderização de projetos 3D mais complexos, ficando com um mínimo de 32 GB nesses casos.

É claro que esses valores são apenas aproximações, onde alguém pode jogar algum título em que seja recomendado ter 32 GB de RAM para melhor experiência ou mesmo trabalhar com algum projeto de maior complexidade que exija 64 GB ou mais, então, por mais que essas aproximações sejam razoáveis, ninguém melhor do que você para responder de maneira realmente definitiva essa dúvida. 😉

  • Single Channel ou Dual Channel?

Basicamente todas as CPUs modernas integram suporte a múltiplos canais de memória, cujo número varia conforme a plataforma, contagem de núcleos e mesmo IPC, afinal, quanto mais “rápido” forem os núcleos dessa CPU, mais banda de memória eles tendem a demandar, sabendo disso, torna-se um tanto quanto óbvio que usar apenas um módulo de memória em single channel pode ser um fator limitante para algumas aplicações, enquanto para outras, a diferença pode ser pequena.

Além disso, não podemos esquecer dos processadores com vídeo integrado, cuja GPU costuma ser ávida por banda de memória e nesse caso, usar single channel pode cortar o desempenho de vídeo pela metade, portanto, torna-se essencial o uso de “dual channel” nesses casos.

Recomendo que assistam o vídeo abaixo, o qual explica de maneira bem didática essa questão dos canais de memória e também traz alguns testes que ilustram essa diferença em alguns desses casos.

  • Frequência de memória

“Ah, mas essa é fácil, é só pegar a memória com maior frequência possível e menor latência!”, em tese, essa é uma premissa válida, porém, lembremo-nos que nem todas as CPUs e plataformas sobem a frequência da memória com facilidade ou mesmo apresentam ganhos de desempenho com isso, por exemplo, os Ryzen baseados nas arquiteturas “Zen1” e “Zen+” costumam ficar limitados a algo como 3466 MHz em placas-mãe mais simples e 3600 MHz nos modelos “topo de linha”, apresentando ganhos bastante razoáveis com a otimização dos timings, enquanto os Ryzen série 3000, vão bem até 3733 MHz com FCLK 1:1, podendo ir muito além com FCLK 1:2, porém, sem benefícios, ocorrendo algo similar com os Ryzen 5000 “Veermer”.

Sabendo disso, de nada adianta desembolsar uma pequena fortuna em um kit DDR4 5000+ com chips Hynix DJR super binados para usar em uma plataforma que não irá se beneficiar disso, no caso desse exemplo, apenas CPUs Intel Rocket Lake junto a placas-mãe “1DPC”, ou seja, aquelas com apenas dois slots de memória, fariam bom proveito do potencial dessas memórias.

Dito isso, a recomendação geral é focar nos modelos entre 3000 e 3600 MHz, os quais costumam aparecer com bons preços nas promoções e já entregam desempenho aceitável “out-of-box”, indo atrás de memórias mais nervosas caso queira extrair todo potencial da plataforma com overclock e ajuste fino.

  • Chips de memória e densidade

Feitas essas recomendações básicas, que tal falarmos um pouco sobre os chips de memória? 🙂

Hoje, existem quatro empresas que produzem chips DDR4 ativamente: Hynix, Micron, Nanya e Samsung, onde cada um desses fabricantes oferecem diversos “dies”, os quais podem ter características bastante distintas entre si como densidade e processo de fabricação, o que leva esses chips a apresentarem diferenças consideráveis no seu comportamento, por exemplo, Samsung B-Die é conhecido por atingir altas frequências com latências baixas e escalar com tensão, já o Samsung C-Die atinge frequências razoavelmente altas com latências mais altas e não escala com tensão.

Sobre a densidade, a maioria dos CIs, acrônimo para circuito integrado, DDR4 disponíveis são de 4,8 ou 16 Gbit, onde os primeiros costumam ser usados em módulos de 4 GB ou 8 GB dual rank antigos (2014~2016), os de 8 Gbit são os mais comuns, encontrados na maior parte das memórias de 8 GB single rank e 16 GB dual rank e os de 16 Gbit são mais recentes e normalmente são restritos a kits de 32 GB ou 64 GB, porém, ainda é possível fabricar módulos de 8 GB com esses chips, ainda que com menos CIs por “bank” e desempenho um pouco pior.

Módulos “Dual Rank” costumam apresentar desempenho um pouco superior (5~10%) em relação a um “Single Rank” rodando com as mesmas configurações, porém, várias CPUs e placas-mãe podem apresentar problemas para escalar a frequência nesses módulos, então, se o propósito for pegar memórias com esse “arranjo” por conta desse extra no desempenho, é necessário ficar atento se você terá ou não que sacrificar frequência por conta disso, anulando a vantagem. Essa mesma observação vale para configurações usando quatro pentes, algo que já foi testado aqui na página nesse outro artigo.

A respeito de cada um desses chips, como foi dito anteriormente, existem diversos “dies” diferentes e ainda dentro desse cenário, temos variação da “binagem”, que seria a sua “qualidade”, algo que pode influenciar drasticamente em suas características.

Abaixo, podemos ver um resumo das características de cada um dos chips de memória que já foram testados aqui na página.

HYNIX

4 Gbit Hynix CJR/CFR

  • Vai bem no overclock?

Sim, superam os 4000 MHz com facilidade com CL16~18, escalando com tRP e tRCDRD aumentados em relação ao tCL e tensão até 1.5V. Suporta tRFC mais apertado em relação à variante de CJR de 8 Gbit. Bom chip para overclock ao nível de uso diário e vai bem tanto em AMD quanto Intel.

  • Links para reviews com memórias equipadas com esse chip:

8 Gbit Hynix CJR/CFR

  • Vai bem no overclock?

Sim. As observações feitas para a variante de 4 Gbit também cabem aqui, só sendo necessário destacar que pode existir uma diferença considerável de qualidade entre os bins, onde um kit 3600CL17 foi capaz de rodar 4000CL16 com estabilidade e outro 3200CL16 não passou de 3533CL16.

  • Links para reviews com memórias equipadas com esse chip:

8 Gbit Hynix DJR

  • Vai bem no overclock?

Sim! As memórias equipadas com esses chips conseguem ir muito longe na frequência máxima, sendo uma das melhores opções caso você tenha uma CPU Rocket Lake com uma placa-mãe 1DPC, que conseguem empurrar essas memórias além dos 5000 MHz para uso diário! Na plataforma AMD, as DJR também costumam funcionar bem, porém, as CPUs baseadas em chiplets não aproveitam todo o potencial e as APUs vão ficar limitadas a algo como 4533~4600 MHz para uso diário. Não foram encontradas grandes diferenças de qualidade entre os kits testados.

  • Links para reviews com memórias equipadas com esse chip:

MICRON

Antes de partir para o primeiro chip DDR4 desse fabricante, é importante destacar que eles costumam ser melhores nas plataformas AMD do que Intel, por conta da maioria esmagadora desses dies se aproveitarem dos ajustes de tRCDWR e tRCDRD disponíveis nas plataformas AMD, o que permite extrair desempenho um pouco melhor das memórias equipadas com esses CIs. Na plataforma Intel, esses ajustes são unificados em um “tRCD” e não podem ser ajustados separadamente.

Outro ponto importante é que a marca “Spectek” é, na verdade, uma subsidiária “value” da Micron, o que significa que memórias equipados com esses chips, na real, são fabricados pela Micron, normalmente com “binagem” mais baixa e preço mais camarada.

4 Gbit Micron B-Die

  • Vai bem no overclock?

Mais ou menos. Esses chips são bastante antigos e costumavam equipar as Crucial Ballistix de entrada, inclusive sendo oferecidos pentes “Dual Rank” de 8 GB nessa época. Usando um R7 2700X, foi possível atingir 3333CL16 com timings decentes, chegando em uma muralha nos 3600 MHz com plataforma Intel LGA1151.

  • Links para reviews com memórias equipadas com esse chip:

8 Gbit Micron B-Die

  • Vai bem no overclock?

Mais ou menos. Se você estiver satisfeito com a marca dos 3600 MHz, então ficará satisfeito com os kits Micron B-Die, onde todos os que foram testados atingiram essa marca com algo entre 1.35V e 1.4V, apresentando instabilidades acima disso independente dos timings utilizados. A diferença de qualidade entre os exemplares tende a se manifestar nos timings, onde os melhores conseguem 3600CL16 e os piores, 3600CL18.

  • Links para reviews com memórias equipadas com esse chip:

8 Gbit Micron E-Die

  • Vai bem no overclock?

Sim! Se você tem um Ryzen, especialmente os com vídeo integrado e quer memórias capazes de atingir altas frequências e timings decentes, porém, sem pagar o custo extra dos kits “Samsung B-Die”, então, o que você procura são memórias com Micron E-Die, que com alguma sorte, conseguem 3800CL16 ou mesmo CL14, podendo ir além dos 4533CL16 e em alguns casos, escalar com tensões acima de 1.7V, o que aliados a facilidade com que esses CIs tem de atingir frequências elevadas, pode torna-los uteis até mesmo para benchmarks competitivos, especialmente nos rankings dos vídeos integrados dos Ryzen.

Cabe lembrar que houve uma variação considerável de qualidade entre as amostras testadas, influenciando nos timings e mesmo na tensão máxima com que a memória escala, o que significa que pode ser necessário contar com a sorte para conseguir amostras excepcionalmente boas.

  • Links para reviews com memórias equipadas com esse chip:

16 Gbit Micron B-Die

  • Vai bem no overclock?

Mais ou menos. Foi testado apenas um pente de 8 GB, o que por si só, trata-se de uma configuração “exótica” para CIs de 16 Gbit com apenas 4 chips em um módulo e certamente podem ter algum impacto em sua capacidade de overclock, sabendo disso, foram bons o suficiente para atingir os 3733CL18 com 1.5V, com diversos relatos internet afora de que esses chips podem atingir algo como 3800 ou 3866MHz com timings semelhantes.

  • Links para reviews com memórias equipadas com esse chip:

NANYA

8 Gbit Nanya C-Die

  • Vai bem no overclock?

Mais ou menos, as Nanya C-Die conseguiram atingir 3733CL16 com bons timings e não escalando com mais do que 1.4V, o que inclusive é um pouco melhor do que as Micron B-Die de 8 Gbit.

É um pouco incomum de se encontrar módulos usando chips DDR4 fornecidos pela Nanya, onde eles tendem a aparecer mais em módulos vendidos por fabricantes chinesas.

  • Links para reviews com memórias equipadas com esse chip:

SAMSUNG

8 Gbit Samsung B-Die

  • Vai bem no overclock?

Sim! Samsung B-Die são basicamente a opção número um para memórias DDR4 de alto desempenho por conta das características desses chips, no caso, eles conseguem atingir frequências elevadas, timings agressivos e podem escalar com tensões acima dos 2V para benchmark. Por essa mesma razão, os kits de memória Samsung B-Die costumam ter custo razoavelmente maior do que a média.

Evidentemente podem existir grandes variações de qualidade entre diferentes “bin” desses chips, assim como o PCB utilizado pode influenciar grandemente nos resultados, então, é sempre bom procurar por reviews técnicos, especialmente se o objetivo for utilizar a memória para benchmarks competitivos.

Um detalhe importantíssimo é que muitos kits de entrada costumam identificar nos softwares como “Samsung B-Die” e, na prática, serem “Samsung C-Die”, o que acaba enganando muita gente, então, se você quer definitivamente identificar se a memória que tem em mãos usa “Samsung B-Die”, basta tentar passar no post com 3200 MHz 14-14-14-28 e tensão em 1.45V, configuração essa que qualquer kit “B-Die” semi-decente sobe e nenhuma “C-Die” consegue.

  • Links para reviews com memórias equipadas com esse chip:

8 Gbit Samsung C-Die

  • Vai bem no overclock?

Mais ou menos. As memórias equipadas com Samsung C-Die costumam atingir frequências entre os 3533 e 4133MHz com timings razoáveis e são incapazes de escalar com tensão acima dos 1.42V, sendo que os melhores exemplares testados acabaram subindo mais com menos de 1.35V (!!!).

Um detalhe importantíssimo é que muitos kits de entrada costumam identificar nos softwares como “Samsung B-Die” e, na prática, serem “Samsung C-Die”, o que acaba enganando muita gente, então, se você quer definitivamente identificar se a memória que tem em mãos usa “Samsung B-Die”, basta tentar passar no post com 3200 MHz 14-14-14-28 e tensão em 1.45V, configuração essa que qualquer kit “B-Die” semi-decente sobe e nenhuma “C-Die” consegue.

  • Links para reviews com memórias equipadas com esse chip:

8 Gbit Samsung D-Die

  • Vai bem no overclock?

Sim. O único kit de memória equipado com Samsung D-Die testado aqui no site apresentou resultados muito semelhantes aos apresentados as memórias Hynix CJR e até mesmo Micron E-Die, sendo uma boa alternativa para as plataformas AMD, atingindo algo como 3800CL16 e 4133CL18.

  • Links para reviews com memórias equipadas com esse chip:
  • Conclusão

E é isso pessoal! O intuito desse artigo é realmente servir como um resumão para aqueles que pretendem comprar memórias DDR4 e tem dúvidas sobre o que escolher, o que significa que ele continuará sendo atualizado sempre que algo de novo passar por minhas mãos.

E é isso! Dúvidas, perguntas e sugestões são bem-vindas! Até a próxima!

Gostou desse artigo? Ele lhe foi útil? Contribua com o apoia-se da página para que seja possível continuar trazendo novos conteúdos aqui na The Overclocking Page!

6 comentários

  1. Belo artigo, como sempre.
    Eu tenho um r5 1600 que tanto Samsung B die ou Hynix CJR não passam de 3133 MHz com alguns bsod aleatorios.
    Agora estou com as Patriot 3733 C17 hynix @ 3066 mhz, 14 16 16 32 @ 1.35v em uma asus rog b350.
    Como saiu atualização pra série 5000 pro meu chipset penso em atualizar o processador. Inclusive, se tiver tempo, seria um teste interessante: mobo b350 com processadores 5xxx, ademais da controladora de memoria estar na cpu, a placa mãe, creio eu, influencia no resultado final.
    Mais uma vez, excelente texto, belo trabalho.

    Curtir

    1. Olá Vinícius,

      Agradeço a sugestão de teste! Só preciso torcer para o fabricante disponibilizar bios para a única B350 que tenho em mãos.

      Mas sim, a placa-mãe de fato influencia no overclock das memórias e de fato, seria interessante testar até onde uma B350 consegue ir com uma CPU 5xxx. Meu palpite é que a maioria das placas-mãe deve ser boa o suficiente para fazer ao menos os 3733~3800MHz com FCLK 1:1.

      Curtir

  2. Boa noite Amigo e Parabéns pelo seu trabalho… 2 perguntas, o que vc tem a dizer dos módulos Micron D-die e os novos Micron R-die?

    Curtir

  3. Opa tenho um kit de memórias Flare X 16gb(8gbx2 3200mhz CL14) supostamente B-DIE , até o numero do produto bate no bdie finder.Mas será que é BDDIE mesmo?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: