Overclock Extremo

RX6800 XT – Crossfire, overclock e benchmark

Fala pessoal, beleza?

Depois de anos de muita especulação acerca das especificações, a AMD finalmente lançou suas novas Radeon equipadas com o GPU “Big Navi”, no caso, foram lançados três modelos até o momento, a 6900XT, 6800XT e 6800, onde o modelo menor já teve o seu review publicado aqui na página, contudo, graças ao pessoal da Terabyteshop, uma 6800XT também acabou chegando as minhas mãos nessa última semana! 🙂

Em relação a RX6800, o modelo de referência da XT apresenta o mesmo design, porém, com algumas diferenças sutis, no caso, a iluminação do “Radeon” do modelo XT possui iluminação RGB, o cooler é um pouco mais “gordo” ocupando 2.5 slots, algo necessário para dissipar os 300W dessa placa mantendo as boas características de ruído e temperatura que foram observadas na RX6800 e por fim, apesar de o PCB ser idêntico, para a 6800XT, a AMD optou por usar ‘powerstages’ Infineon TDA21472 (70A) em detrimento das Alpha & Omega.

Até alguns anos atrás, era relativamente comum o uso de configurações com utilizando várias GPUs em AMD Crossfire ou NVIDIA SLI, que basicamente eram tecnologias que permitiam a essas placas combinar o trabalho de renderização de forma a ganhar desempenho, no caso, uma das técnicas mais utilizadas para isso era a AFR, acrônimo para “Alternate frame rendering” e que basicamente consistia em uma placa renderizar os frames pares e a outra os impares, o que costumava funcionar bem do ponto de vista dos ganhos em FPS, porém, também era muito comum encontrar usuários desses sistemas reclamando de micro stuttering, problemas de renderização em alguns jogos e até mesmo perda de desempenho em casos onde a engine não apresentava suporte a essas tecnologias. Por conta disso, essas configurações meio que acabaram caindo em desuso e hoje são restritas apenas aos modelos high-end e seu suporte está com os dias contados, no caso da AMD, as últimas placas a suportarem 4-Way Crossfire foram as Polaris, enquanto as Vega e Navi suportam apenas duas placas com o agravante que nessa última, só existe suporte em DX12. 😦

O Crossfire também permitia combinar quaisquer placas desde que usassem a mesmo GPU ainda que fossem variantes com configurações distintas, sabendo disso, veio a ideia: Será que “da liga” colocar a 6800XT e a 6800 juntas? Evidentemente pelas supracitadas limitações, é uma configuração que tende a não possuir nenhuma proposição de valor ou até mesmo muita utilidade prática, contudo, o Time Spy é um benchmark DX12 que escala com multiplas VGAs, portanto, esse é um experimento que vale a pena ser feito! 😀

Além disso, nesse artigo também será a primeira de muitas tentativas de quebrar algum recorde em benchmarks 3D nos rankings do HWBOT, afinal de contas, essas placas são poderosas o suficiente para isso, então, vamos às configurações utilizadas e os resultados, porém antes, novamente fica o agradecimento a Terabyteshop por todo apoio e pelas placas de vídeo! 🙂

  • Configurações utilizadas:

CPU: AMD Ryzen 7 5800X (Obrigado Terabyteshop!)

MOBO: ASUS ROG Crosshair VIII Impact (UEFI 3003) / ASUS TUF X570-Gaming/BR

RAM: 2×8 GB G.Skill FlareX 3200 CL14

VGA: AMD Radeon RX6800 XT e AMD Radeon RX6800 (Obrigado Terabyteshop!)

REFRIGERAÇÃO: SF3D Inflection Point + LN2, Riotoro Bifröst 240 mm (CPU) e WC Custom para GPU (Swiftech MCW82 + Radiador Magicool 360mm + bomba chinesa com reservatório integrado + 3x San Ace 100+ CFM)

STORAGE: SSD Sandisk 120 GB

PSU: Antec Quattro 1200W

Objetivos dos testes: Explorar os limites do Ryzen 7 5800X juntamente as novas “Big Navi” no overclock extremo usando nitrogênio líquido na CPU em diferentes benchmarks 3D, visando eventualmente chegar no top-10 de alguns rankings do HWBOT. Detalhes de como foram conduzidos os testes e metodologia estão descritos no texto que acompanham os resultados.

  • Resultados com Crossfire (6800XT + 6800):

Para o teste do Crossfire, por motivos óbvios não foi possível utilizar a Crosshair VIII Impact, por isso, foi utilizada a TUF X570-Gaming/BR, contudo, é necessário destacar que apesar dessa placa usar o chipset X570, ela se trata de um modelo de entrada, portanto, ela possui um slot PCI-E 16X 4.0 ligado diretamente a CPU operando nos 16X e o segundo slot 16X 4.0 que é ligado ao X570, trabalhando em 4X, sendo que isso foi feito dessa forma visando simplificar o design do PCB e economizar nos componentes responsáveis por fazer a divisão de 8X/8X nas lanes do processador, a implicação é que a segunda placa tem menos banda disponível e também existe uma maior latência na comunicação por conta de ter o chipset entre a CPU e a VGA, o que deve resultar em um pequeno impacto no desempenho, algo inexistente em uma placa-mãe 8X/8X.

Também é necessário observar que por conta de alguns problemas que apareceram, o watercooler da bancada está temporariamente fora de serviço, por isso, foi utilizado o Riotoro Bifröst 240mm e no caso, para resolver o problema do kit de montagem, foi necessário reduzir pela metade a altura das roscas de borracha que acompanham o produto e isso foi feito cortando um pedaço dessas borrachas, uma solução que certamente deve anular a garantia do produto, porém, que resolveu a questão.

E aqui, foi possível “tirar uma fina” dos 25000 pontos no Time Spy, o que certamente ficou limitado pelo R7 5800X, que apesar de ser muito esforçado, a segunda CCD simplesmente faz falta nesse benchmark por conta do “CPU Score” ter peso significativo na pontuação final, de todo modo, esse resultado é preliminar e passível de ser melhorado em um futuro próximo. 😉

https://hwbot.org/submission/4626490_noms_3dmark___time_spy_2x_radeon_rx_6800_xt_24992_marks
  • Resultados com a RX6800 XT + 5800X LN2:

O próximo passo foi testar a 6800XT individualmente, afinal de contas, essas placas tem se mostrado extremamente competitivas em alguns testes como o Firestrike e o 3DMark11, então, foi montado o watercooler de forma semelhante ao que foi feito com a RX6800, porém, dessa vez foi usado LN2 no R7 5800X juntamente a C8I, afinal de contas, ela é a ferramenta mais adequada para essa tarefa e no caso, apenas um slot PCI-E ja é suficiente. 🙂

Sobre os resultados, foi possível completar os testes com o R7 5800X rodando com frequência na casa dos 5850~5900MHz e memórias a 3800MHz CL14 1:1, o que parece ser um tanto relaxado, porém, aparentemente o driver de vídeo da AMD não se dá muito bem com ajustes agressivos de memória e limitação no “maxmem”, algo que é necessário fazer para rodar as Samsung B-Die no modo soviético, apresentando crashes e erros de driver caso tente fazer assim. No que tange a GPU, foi possível completar os benchmarks com frequências entre 2630MHz e 2690MHz, o que é razoável, porém, um pouquinho aquém daquilo que temos visto nos melhores exemplares, os quais são capazes de rodar entre 2700MHz e 2800MHz.

Dessa forma, para os rankings globais usando apenas uma GPU, foi possível obter o 4º lugar no Firestrike Extreme, 7º no Fire Strike, 8º no 3DMark11 e 60º no Time Spy, o que são boas marcas se considerarmos a GPU na água e o processador de apenas oito núcleos, porém, passiveis de melhoria com um 5950X ou mesmo com a 6800XT rodando no LN2, vamos ver o que vem por ai né? 😉

Bônus: Cinebench R20 no Ryzen 7 5800X!

Aproveitando estar com a mão na massa e agora o Cinebench R20 também está valendo pontos no HWBOT, optei por roda-lo no R7 5800X, o qual foi capaz de completar esse teste com 5875MHz com 1.7V de vcore, obtendo a quinta colocação do ranking global das CPUs 8x cores, nada mal se me perguntarem o que acho. 🙂

https://hwbot.org/submission/4629043_noms_cinebench___r20_ryzen_7_5800x_7861_marks
  • Conclusão:
  1. Apesar das soluções Multi-GPU estarem caindo em desuso com adoção e suporte cada vez menores por parte das desenvolvedoras e fabricantes, o Crossfire entre 6800XT e 6800 mostrou-se funcional, ainda que limitado a apenas ao 3DMark Time Spy e no caso, apresentou desempenho similar ao SLI de 2080Ti, ao menos tomando como referência os demais competidores no HWBOT, o que é bem razoável se considerarmos que a placa-mãe que foi utilizada não é a mais adequada para esse experimento por conta da distribuição das lanes PCI-E.
  2. A respeito da 6800XT, ela foi capaz de completar os benchmarks com frequência de até 2690MHz na GPU rodando com refrigeração a água, o que não é ruim, porém, um pouquinho aquém dos 2700+ que vemos nas melhores amostras que estão circulando mundo a fora, de todo modo, juntamente ao “esforçado” R7 5800X rodando com LN2, foi possível pegar top-10 em várias categorias como FS, FSE e 3dmark11, onde uma CPU com mais cores poderia fazer uma diferença ainda maior, algo que provavelmente ficará para as próximas tentativas, afinal de contas, esse é só o começo da brincadeira! 😉

E é isso! Dúvidas, perguntas e sugestões são bem-vindas! Até a próxima!

Gostou desse artigo? Ele lhe foi útil? Contribua com o apoia-se da página para que seja possível continuar trazendo novos conteúdos aqui na The Overclocking Page!

2 comentários

  1. Cara, tô me coçando pra pegar uma 6800XT no lugar de uma 3080, tá começando a aparecer abaixo de 5k… Tenho uma 1080ti e ela tá começando a ficar pra trás. Hehehe Esse modelo referência tá chegando a qual temperatura com over no ar? Qnto que ela chega? Ótimo teste, adoro overclock mais extremo, e melhor ainda assim como você faz, em artigos, com gráficos e explicando tudo em detalhes. E melhor de tudo, é brazuca. Parabéns.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: