Reviews, Sistemas de refrigeração

[Review] Water Cooler AIO RISE GW240 S-LED

Fala pessoal, beleza?

Nesse review vou analisar o RISE GW240 S-LED que trata-se de um Water Cooler AIO (loop selado) que usa um radiador de alumínio de 240mm e acompanha fans com led e visual diferenciado.

Começando pela embalagem, a caixa do produto apresenta design claro e ao meu ver de bom gosto. Na frente existem informações como compatibilidade com socket AM4 e LGA 115X, TDP de 250W (!!!) e fans com led, enquanto que na parte de trás, temos as especificações do produto em português, inglês e espanhol.

Acompanham o produto dois fans com led, manual, brackets de instalação para Intel e AMD, cabo Y-splitter para ligação dos fans e demais componentes do sistema de montagem como molas e parafusos. Na foto abaixo não é possível ver o bracket de Intel pois o mesmo já vem instalado no bloco, no entanto como mostrarei adiante, a substituição do mesmo é bastante simples, caso necessário.

E eis o Water Cooler! A base desse AIO é praticamente quadrada e a bomba é montada no bloco, como costuma ser na maioria desses dispositivos. Ainda com relação a base, o acabamento da mesma não chega a ser espelhado mas é suficientemente bom, de forma que as marcas do trabalho da máquina na usinagem do material foram removidas e a mesma é bastante lisa.

Essa observação é necessária pois quanto mais uniformes forem as superfícies, tanto do IHS quanto do cooler, maior é a área de contato entre elas (a um nível microscópico) e portanto melhor é o desempenho da solução de refrigeração adotada.

Sobre o radiador, o mesmo apresenta 240mm de comprimento e 27mm de espessura, com FPI não divulgado. Essa sigla que significa “Fins per Inch” (algo como “aletas por polegada”) é uma medida de densidade das aletas do radiador e um indicador do foco adotado no projeto do mesmo, por exemplo, radiadores com FPI mais baixo possuem menor capacidade térmica que outros com FPI mais alto, no entanto, eles NÃO dependem de fans de alto desempenho e pressão estática muito elevada para vencer a resistência imposta a retirada do ar de entre as aletas, o que significa que se o objetivo for montar um sistema de Water Cooler com foco no silêncio, radiadores com FPI baixo são preferíveis enquanto que se a ideia for buscar desempenho máximo ou estiver limitado no comprimento (por exemplo, um case ITX), radiadores com FPI mais alto e maior espessura devem ser utilizados.

Ainda em relação ao radiador, recomendo verificar a compatibilidade do seu gabinete com radiadores de 240mm, o que não deve ser problema para gabinetes mais modernos, entretanto, para os mais antigos e mais baratos pode ser que existam limitações e definitivamente não são todas as pessoas que tem disposição para “passar a serra” no gabinete. 🙂

Sobre a bomba, como já disse anteriormente, a mesma é integrada ao bloco e protegida por uma tampa plástica que também tem como função isolamento acústico, possuindo em seu interior uma espuma isolante. Devo dizer que essa solução é funcional e que esse AIO é bastante silencioso durante a operação, o que é excelente!

Do sistema de fixação, os brackets são encaixados no bloco e por isso que eles possuem uma das laterais abertas. Pessoalmente achei essa solução bem interessante pois facilita muito para aqueles que estiverem pensando em usar o AIO de forma mais “criativa”, por exemplo, adaptando o mesmo em GPUs ou em plataformas na qual nunca ninguém pensou em dar suporte por motivos óbvios, no caso, me refiro ao socket 604, que foi adotado pela Intel nos Xeons com arquitetura Netburst fabricados em 130nm/90nm. Para isso, basta usar fitas hellerman (popularmente conhecido por “enforca-gato”), o bracket mais adequado para a adaptação e com isso, prende-se o bracket, encaixa-se o bloco e por fim aperta-se as fitas.

Naturalmente que tal uso criativo não é garantido por mim e muito menos pelo fabricante, mas fica ai a dica e essa possibilidade de uso! 🙂

Sobre os fans que acompanham o dissipador, são modelos com led em uma única cor e são oferecidos com iluminação vermelha, branca ou azul, portanto é necessário tomar atenção a esse detalhe na hora da compra! As especificações que vem escritas na caixa falam em 1500 rpm, 25dBa máximo,100 CFM (!!!) e a especificação de pressão estática não é fornecida. De todo modo, considero esses valores extremamente otimistas para um fan de 120mm x 25mm com especificações de ruído e rotação tão baixos.

Apenas por curiosidade, também inclui nos testes resultados usando dois Swiftech Helix 120mm no lugar das ventoinhas originais. Esses fans foram  projetados com o objetivo de se atingir a maior pressão estática possível mantendo o nível de ruído em níveis civilizados, sendo eles uma excelente opção para uso em radiadores, especialmente se considerarmos o seu custo (cerca de US$10).

Vamos então as configurações utilizadas e aos resultados!

Configuração utilizada:

CPU: Ryzen 5 2600X (Obrigado AMD!)

MOBO: MSI B350I PRO AC (Obrigado AMD!)

RAM: 2x8GB G.Skill Flare X 3200 CL14 (Obrigado AMD!)

VGA: EVGA GTX650 (Obrigado nVidia!)

PSU: Antec Neo Eco 520W

Fans extras: 2x Swiftech Helix 120mm

Softwares utilizados: Windows 10 x64, HWiNFO64 v5.86-3480 e AIDA64 v5.97.4600

Metodologia de testes: Detalhes relativos a metodologia de testes para sistemas de refrigeração aqui na tOCP, como foram realizado esses testes e a interpretação dos resultados podem ser encontrados nesse post.

Para os testes em overclock foi usado o R5 2600X @ 4.2GHz 1.325V LLC 2 sendo que além dos fans padrão, também resolvi verificar o desempenho do AIO usando um par de Swiftech Helix 120mm.

No modo silencioso, os fans originais permaneceram com a rotação entre 1000~1050 rpm e no modo desempenho, 1530~1550 rpm, enquanto que os Swiftech Helix ficaram nos 1120 rpm e 1790 rpm, respectivamente. Lembrando que essas leituras são provenientes da UEFI devido ao fato de eu não dispor de um tacômetro para realizar essa medição com maior precisão.

Como pode-se ver nas foto abaixo, o composto térmico se espalhou bem, indicando que existe bom contato entre a base do dissipador e o CPU. 🙂

Também tenham em mente que esses resultados não devem de forma alguma ser comparados com aqueles obtidos usando plataforma Intel devido as características térmicas serem bastante diferentes entre os CPUs dos dois fabricantes, por exemplo, o processo litográfico é diferente, a área do die é diferente, a área de contato (IHS) com a base do dissipador é diferente, a interface térmica entre o die e o IHS é diferente e em alguns casos, o kit de montagem do cooler é diferente entre as plataformas e tudo isso faz com que os resultados obtidos, por exemplo, para um R5 2600X e um i7 8700K não sejam comparáveis.

Resultados:

No gráfico abaixo, temos os resultados com o CPU em stock sendo que os resultados aqui apresentados podem ser considerados excelentes, com média de temperatura sempre abaixo dos 70ºC. No modo silencioso, a diferença verificada entre os fans originais e os Helix foi desprezível, enquanto que com rotação plena, os Swiftech abriram pouco mais de 1.5ºC de vantagem.

Com overclock, a temperatura ficou sempre abaixo dos 76ºC e a diferença entre os fans se tornou um pouco mais evidente, apresentando um delta de 1.66ºC mesmo no modo silencioso. Também foi verificado um incremento de cerca de +5.5ºC entre stock e overclock.

Por fim, a análise do comportamento do Precision Boost 2, com o objetivo de tentar mostrar o impacto do sistema de refrigeração na operação do CPU em stock, tendo em vista que a temperatura influi diretamente na frequência de funcionamento (e de quebra no desempenho) nessa condição. Para isso, peguei os dados da telemetria dos modos stock, contei quantas vezes cada multiplicador aparece nas amostras e elaborei um gráfico percentual que nos diz “quantos % do tempo do CPU se manteve no clock X”.

Ambos os testes foram realizados usando os fans originais e com uma temperatura ambiente de 26.9ºC.

O RISE GW240 S-Led foi capaz de segurar o R5 2600X operando ali na faixa dos 3900MHz na maior parte do tempo em ambas situações, sendo que no modo desempenho, os 2ºC a menos no CPU praticamente se traduziram em um incremento de 0.25x no multiplicador.

Conclusão:

Sobre o RISE GW240 S-Led, posso destacar que o mesmo se saiu bem nos testes, apresentando desempenho muito bom! Da sua qualidade de construção, visivelmente não encontrei nada que o desabone ou que comprometa o produto. A única observação que devo fazer é com relação a especificação dos fans que acompanham o WC pois as mesmas me pareceram muito otimistas (100 cfm?) em relação as dimensões, rotação e ruído dos mesmos.

Com relação ao custo-benefício, conhecido popularmente como “CxB”, o mesmo pode ser encontrado com preços na casa dos R$400, faixa de preço onde pude encontrar de tudo, desde WC AIO com radiador de 120mm até produtos bastante similares a esse, sendo assim, concluo que o RISE GW240 S-Led possui preço bastante razoável perante a concorrência e ao desempenho apresentado.

Agradecimento a RISE por ter enviado a amostra para testes!
Dúvidas, sugestões ou mesmo comentários aleatórios são bem-vindos! 🙂

Até a próxima!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s