Overclock Extremo

Overclock extremo no Ryzen 3 PRO 5350G – Quebrando recordes!

Ontem foi o lançamento dos novos Ryzen 5000G "Cezanne" com vídeo integrado e publiquei aqui na página um artigo com testes do Ryzen 3 PRO 5350G, que se trata de um modelo com 4C/8T e vídeo integrado, fabricado em 7 nm pela TSMC e baseado nas arquiteturas Zen3 / Vega... Continue lendo!

Fala pessoal, tudo bom?

Ontem foi o lançamento dos novos Ryzen 5000G “Cezanne” com vídeo integrado e publiquei aqui na página um artigo com testes do Ryzen 3 PRO 5350G, que se trata de um modelo com 4C/8T e vídeo integrado, fabricado em 7 nm pela TSMC e baseado nas arquiteturas Zen3 / Vega.

Nesse primeiro artigo, o foco foi no desempenho para uso diário, seja stock ou overclock, porém, limitado na refrigeração a algo mais civil, no caso, o Wraith Stealth com um pequeno “tira gosto” usando WC custom ao final, porém, o nome desse site é “The Overclock Page” não é? Então, nesse segundo artigo irei lhes mostrar como o R3 5350G se saiu no overclock extremo com nitrogênio líquido! Sem mais delongas, vamos lá! 😀

A respeito da preparação da placa-mãe para a sessão, a Crosshair VIII Impact já está com o plastidip aplicado, então, o procedimento da preparação consistiu apenas em colocar papel toalha na placa, aplicar a pasta térmica e montar o pot usando o ElmorLabs H.O.T como backplate.

Vamos então ao hardware utilizado e aos resultados! 🙂

  • Configuração utilizada:

CPU: Ryzen 3 PRO 5350G (Obrigado AMD!)

MOBO: ROG Crosshair VIII Impact (UEFI 3702)

VGA: GeForce GT210

RAM: 2x8GB G.Skill FlareX 3200CL14

REFRIGERAÇÃO: SF3D Inflection Point + Nitrogênio Líquido + Pasta térmica KINGPIN KPx

STORAGE: SSD XrayDisk 240GB

SO: Windows 10 x64 2004 “depenado”

Objetivo dos testes: Descobrir o limite do Ryzen 3 PRO 5350G usando refrigeração extrema (LN2) visando extrair desempenho máxima nos benchmarks e também verificar o seu comportamento nessas condições. Os detalhes de como foram conduzidos os testes e metodologia estão descritos no texto que acompanham os resultados.

Resultados:

Diferente do que ocorre com os Ryzen baseados em chiplets, o coldbug (CB) nos “Cezanne” não está relacionado com o ajuste do FCLK, de maneira que ele até parece escalar no LN2, permitindo atingir frequências muito altas ainda trabalhando sincronizado as memórias, o que é ótimo, porém, existe CB por outras causas, o qual parece variar de exemplar para exemplar, no caso do Ryzen 3 PRO 5350G que tenho em mãos, o limite para bom funcionamento foi os -130 °C, não apresentando coldboot bug (CBB), porém, existem alguns relatos de amostras capazes de trabalhar com -190 °C, veremos como isso vai ficará no futuro!

A respeito das frequências obtidas, foi possível de se completar os benchmarks abaixo com algo entre 5450MHz e 5525MHz com tensão de 1.75V, o que é algo bem aquém daquilo que normalmente se vê nos demais Ryzen com arquitetura Zen3 e dependendo do exemplar, até mesmo Zen2, porém, isso muito provavelmente se deve ao fato do Ryzen 3 ser o modelo mais simples da linha, o que implica que os melhores dies podem estar sendo utilizados para os Ryzen 5/7.

Dos resultados, o Geekbench 3 e o GPUPI foram recordes no HWBOT, ficando em primeiro lugar no ranking global dos processadores com 4x cores, enquanto o Cinebench R20 ficou em sexto e o X265 em 34.º lugar, todos em relação ao supracitado ranking, o que me garantiu um belo de um “boost” no meu perfil particular, indo a primeiro do Brasil/América Latina, 6.º na Elite League na temporada de 2021 e 28.º no mundo! Vamos ver quanto tempo isso dura! 😀

Também, uma validação de frequência máxima no CPU-Z, onde foi possível atingir 5573.7 MHz em todos os núcleos, onde com mais paciência e tempo, pode até ser possível atingir os 5600 MHz.

E por fim, a tradicional galeria de fotos do hardware congelado, algo que nunca pode faltar em um artigo sobre overclock extremo! 😀

  • Conclusão:

O Ryzen 3 5350G sobreviveu a sessão de OC Extremo, apresentando CB em -130 °C e nenhum CBB. A respeito da frequência nos benchmarks, a amostra testada conseguiu completar os benchmarks com frequências que variaram entre 5450MHz e 5525MHz com tensão de 1.75V, o que é algo abaixo daquilo que normalmente pode ser obtido nos Ryzen baseados em chiplets, porém, parece ser algo bom para o “Cezanne”, afinal de contas, com esses números foi possível quebrar recordes em alguns benchmarks na categoria 4x cores no HWBOT, inclusive batendo outras pessoas com Ryzen 3 5300G, o que é algo excelente! 😀

Então por hoje é só pessoal, até a próxima!

Gostou desse artigo? Ele lhe foi útil? Contribua com o apoia-se da página para que seja possível continuar trazendo novos conteúdos aqui na The Overclocking Page!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: