[Review] Pasta térmica Kingpin Cooling KPx – Será esse produto tão lendário quanto o seu criador?

Fala pessoal, beleza?

Nesse artigo irei testar a pasta térmica Kingpin Cooling KPx, que se trata de um composto topo de linha vendida pelo lendário overclocker K|ngp|n, sim, o mesmo das lendárias GPUs da eVGA que levavam o seu nome, ou seja, essa é mais uma pasta voltado ao uso em overclock extremo. A KPx é oferecida em quantidades que vão dos 1.5g aos 30g.

A KPx vem em embalagem “Zip Lock”, algo que pelo custo reduzido tornou-se meio que padrão para esses produtos. Essa pasta térmica pode ser encontrada em dois recipientes distintos: Seringa e pote.

É necessário destacar que a função da interface térmica é ocupar as micro-ranhuras da base do dissipador/IHS com algo que tenha maior condutividade térmica que o ar, melhorando a troca de calor entre essas superfícies e de quebra, baixando a temperatura da CPU/GPU.

O fabricante não disponibiliza mais informações a respeito da KPx, mas é razoável supor que ela apresente condutividade térmica maior que 10 W/mK e temperaturas de trabalho que vão dos -250 °C até os +350 °C, afinal, trata-se de um produto voltado a uso em overclock extremo.

Apesar disso, é relevante lembrar que ser boa para uso extremo ou possuir condutividade térmica elevada não são garantias de desempenho e durabilidade exemplar em uma situação de uso diário, afinal, são condições de uso muito distintas.

Quanto ao uso do produto, é ridiculamente simples, bastando aplicar a pasta sobre o IHS do processador usando o seu método favorito, no caso, aqui, sempre que possível, é feita a aplicação em “X”. É importante destacar que a Kingpin Cooling KPx não é condutiva.

Caso alguém se interesse, aqui vai o link para o produto no site do fabricante, que, na verdade, trata-se de uma loja, então, vamos à configuração utilizada e aos resultados obtidos!

Configuração utilizada:

CPU:AMD Ryzen 7 2700X (obrigado AMD!)

MOBO: ASUS TUF X570-Plus Gaming (Obrigado Terabyteshop!)

RAM: 2×8 GB Crucial Ballistix 3200CL16

GPU: ASRock Radeon RX 5700 XT 8 GB

PSU: Seasonic SS-750AM

COOLER: XPG Levante 240 mm (Obrigado XPG!), Thermal Grizzly Carbonaut, IC Graphite, GD900-1, Deepcool Z3, Cooler Master Mastergel Maker, Thermal Grizzly Kryonaut, Thermal Grizzly Kryonaut Extreme e Kingpin Cooling KPx.

SSD: Sandisk 120 GB

Software: Windows 10 x64, Blender 3.1.2, HWiNFO 7.26.

Objetivo dos testes:

Verificar se a Kingpin Cooling KPx consegue entregar bom desempenho, comparando-as com outras alternativas de interface térmica que já foram testadas por aqui. Mais detalhes acerca da metodologia e de como foram conduzidos os testes estão contidos nos textos a seguir.

Resultados:

Para esses testes, foi utilizado o Ryzen 7 2700X @ 4.1GHz 1.3375V LLC 3 e VDDSOC 1.025V com memória configurada em 3200MHz XMP, onde foi utilizado o Blender renderizando o demo “Classroom” por 30 minutos para obtenção dos resultados.

Foram testadas uma passada logo após a aplicação/montagem do cooler e outra no outro dia, após mais alguns ciclos “esquenta-esfria”, intercalando um período de 40 minutos em “idle” e 40 minutos de estresse no AIDA. A ideia disso é verificar se a pasta térmica em questão possui algum tempo de cura, ou seja, se existe diferença de desempenho entre o produto recém-aplicado e após ciclos térmicos.

O gráfico abaixo se refere ao delta T (ΔT), que se trata da diferença entre a temperatura do CPU (no caso) e a ambiente, retirando assim esse ultimo fator da jogada.

E acabou que temos um novo pódio! A KPx acabou ficando na ponta do comparativo no desempenho em ambos os casos, liderando por 1 °C no pós-aplicação e 1,7 °C após o tempo de cura, o que é um claro indício de que a KPx já apresenta seu melhor desempenho logo no pós-aplicação, com pouca diferença após ciclos térmicos.

Conclusão:

A Kingpin Cooling KPx acabou dominando o comparativo, ficando no topo tanto no pós-aplicação quanto após o tempo de cura com uma vantagem de 1 °C e 1,7 °C, respectivamente, não apresentando diferença significativa no desempenho após alguns ciclos térmicos

Agora, se o intuito for uso em overclock extremo, apesar de não ter abordado especificamente nesse artigo, assim como nas pastas da Thermal Grizzly, as experiências passadas com a Kingpin Cooling KPx foram excelentes, sem nunca ter tido problemas com trinca ou da pasta térmica limitando a frequência máxima da CPU com LN2.

Sobre o custo de aquisição, a KPx infelizmente não possui revendedor nacional, podendo ser adquirida no site do fabricante por cerca de 7,70 USD para o tubo de 1.5g, 13,20 USD para 3g, 26,40 USD em 10g e por fim, 52,80 USD para 30g, sendo esses valores compatíveis com o cobrado pelas concorrentes, o problema é que por questões de câmbio, esses valores acabam se tornando um tanto quanto puxados, de forma que o investimento acaba fazendo sentido apenas para uso em overclock extremo.

Gostou desse artigo? Ele lhe foi útil? Considere contribuir com o crowdfunding ou doação para ser possível continuar trazendo novos conteúdos aqui na The Overclocking Page!

1 comentário Adicione o seu

  1. Rivotril disse:

    Comprei uma MTG 10 no Ali ano passado, hoje quando fui usar estava toda dura e não aderia a superfície do processador, parecia um chiclete velho haha. Acabei comprando uma Noctua nt-h2 de 3,5g por R$ 95,00, vou devolver e comprar essa Z3, até o momento parece ser o melhor CxB aqui no BR, 5g saindo na casa dos R$ 25,00 e com praticamente o mesmo desempenho frente as outras pastas bem mais caras.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s