Artigos Memórias

[Review] 2x8GB G.Skill Ripjaws V 3200CL16

Fala pessoal, beleza?

Nesse review irei analisar um kit de memória G.Skill, da série “Ripjaws V” que oferece modelos que vão desde os 2133MHz até 4000MHz, capacidades que vão desde os 4GB aos 256GB e com diversas configurações diferentes (single-channel, dual-channel e quad-channel). O kit em questão é composto de dois módulos 3200MHz 16-18-18-38 de 8GB cada, perfazendo o total de 16GB.

Os pentes de memória vem em um blister com uma cartolina impressa que destaca bem a linha na qual o produto pertence, as especificações e as próprias memórias, afinal de contas, a embalagem é transparente. Além das memórias, acompanha também um adesivo do fabricante.

Para essa série, a G.Skill optou por utilizar um dissipador de alumínio que é oferecido em cino cores diferentes, preto, cinza, vermelho, azul e prata, sem uso de qualquer tipo de iluminação. A amostra que tenho em mãos possui dissipadores pretos e código F4-3200C16D-16GVKB.

O Thaiphoon Burner nos diz que essa memória utiliza chips Samsung B-Die com código K4A8G085WB-BCPB, entretanto, como será possível ver mais adiante, os resultados obtidos estão dentro do esperado para memórias usando chips Samsung C-Die, salgo emelhante a vários kits que testei recentemente com esse chips, como por exemplo, as G.Skill Flare X 3200CL16, portanto, novamente houve algum erro de leitura por parte do software ou talvez por parte do fabricante na hora de gravar o SPD. O PCB utilizado aqui é o mesmo “A0” das Flare X e portanto, os módulos são basicamente idênticos.

Por fim, caso alguém venha a se interessar, nesse link pode ser encontrada a página do produto no site do fabricante. Então vamos aos testes e as configurações utilizadas.

Configurações utilizadas:

CPU: AMD Ryzen 7 3800X (obrigado AMD!)

MOBO: ASUS ROG Crosshair VII Hero (UEFI 2901)

RAM: 2x8GB G.Skill Ripjaws V 3200CL16 (Obrigado Terabyteshop!)

GPU: ASRock RX 5700XT Challenger (Obrigado Terabyteshop!)

PSU: Antec Quattro 1200W

COOLER: WC Custom

SSD: Crucial BX300 120GB

Software: Windows 10 1903 x64, AMD Ryzen Master, TM5 0.12 1usmus config v3, AIDA64 6.00.5100 e Geekbench 3.4.2.

Objetivo e metodologia dos testes: Descobrir qual o limite da G.Skill Ripjaws V 3200CL16 usando um CPU Ryzen de terceira geração e também chegar na melhor configuração estável para uso diário. Para isso, separei os resultados em três grupos:

1) XMP: Que basicamente é o máximo que consegui obter apenas carregando o perfil XMP e subindo clock/tensão, parando no “sweet spot” de 3733MHz 1:1 com FCLK @ 1866MHz que é considerado a opção mais balanceada/fácil de se obter bons números usando o Ryzen de terceira geração, claro, isso se a memória que estiver sendo testada for capaz de chegar lá. 😉

A vantagem da abordagem 1 é que ela é extremamente simples e não demanda qualquer ajuste do usuário no que diz respeito aos timings, entretanto, você paga o preço da simplicidade com menor desempenho pois ai os ajustes são feitos automaticamente pela placa-mãe e podem ser bastante relaxados.

2) 24/7 com ajuste fino: Aqui foram feitos ajustes manuais em todos os timings possíveis visando obter o melhor resultado possível com viabilidade para uso diariamente. Por conta disso, quando possível irei além dos 3733MHz para explorar o limite da memória, porém, mantendo o FCLK em 1866MHz para um melhor desempenho no modo assíncrono.

Nos casos 1 e 2, utilizei o TM5 0.12 1usmus config v3 para verificar estabilidade e o AIDA64 para ter noção dos números de banda e latência. Para esses testes, o CPU foi mantido em stock.

Resultados:

Como disse anteriormente, o primeiro passo foi testar as memórias usando a abordagem 1. Na captura de tela abaixo, é possível ver como fica a configuração padrão (XMP) da G.Skill na plataforma AM4.

Com essa abordagem foi possível carregar o SO com as memórias em até 3333MHz, entretanto, as mesmas não apresentaram estabilidade com essa ultima configuração mesmo após aumento da tensão das memórias (VDIMM), portanto, o máximo que pude obter com estabilidade usando essa abordagem foi 3200MHz com 1.35V, em outras palavras, funcionou bem apenas em stock. Uma observação que faço é que esses Samsung “C-Die” não aceitaram trabalhar com tensões acima de 1.4V, sempre apresentando problemas no post (exemplo: parando na ultima etapa com algum post code como 0D) ou mesmo instabilidades no SO com o driver de vídeo resetando a todo momento. Em suma, nada de diferente daquilo que vimos com as outras memórias com Samsung C-Die que passaram por aqui nos últimos tempos.

Agora com a abordagem 2, usando como referência os ajustes obtidos por terceiros e também os que usei no review da Flare X 3200 CL16, o máximo possível de se obter com ajustes manuais e CL16 foram os mesmos 3533MHz com 1.4V usando os mesmos timings dessa ultima, com exceção do tRP, que aqui foi necessário subir de 18 para 20 para conseguir completar o TM5 sem erros. Muito provavelmente essas memórias, como as demais C-Die da Geil que testei, devem ser capazes de atingir os 3600MHz 1.35V usando 18-21-21-42, semelhante as Flare X, entretanto, em termos de desempenho, esse ajuste é praticamente irrelevante e em alguns casos chega a ser mais lento que os 3533 16-20-20-38 e por essa razão, acabei parando no resultado obtido abaixo.

E por fim, eis os números de Leitura/Escrita/Cópia/Latência obtidos no benchmark do AIDA64, lembrando que todos os resultados aqui apresentados passaram no teste de estabilidade do TM5 0.12 v3 e ao menos especificamente para a amostra que tenho em mãos, representa algo que pode ser usado diariamente.

Conclusão:

As G.Skill Ripjaws V 3200CL16 basicamente tratam-se de mais um kit usando chips Samsung C-Die, que tem como caracteristica apresentar bom funcionamento na plataforma AMD, porém, capacidade de overclock limitada sendo normalmente necessário fazer ajustes manuais para ir além dos 3200MHz e sempre chegando mais ou menos no mesmo “muro” (3533MHz) encontrado nas demais memórias “C-Die” que testei.

Do ponto de vista do custo-benefício (o famoso CxB), o último preço praticado por esse kit foi de R$564,63 (05/01/2020), o que está na média para um kit de memória DDR4 de 3200MHz sem iluminação RGB, entretanto, se a ideia for despender algum tempo fazendo overclock ou ajustando os timings, pode ser interessante procurar por outras alternativas com chips que possuam maior margem de manobra ou mesmo economizar, pois é possível encontrar memórias com Samsung C-Die e frequência padrão um pouco mais baixas por um preço menor, para no final, obter resultados muito semelhantes com overclock.

E é isso! Dúvidas, perguntas e sugestões são bem-vindas! Até a próxima!

2 comentários

    1. Olá Alexandre,

      O objetivo dos testes nas memórias é justamente chegar no limite das mesmas em diferentes condições de uso e ajuste (ex: só fazendo o básico com o xmp, ajustando tudo manualmente ou sentando a bota pra benchmark) e compartilhar os ajustes necessários para isso depois. Sendo assim, a diferença de se usar qualquer um desses CPUs é irrelevante no caso, já que os ajustes dos timings vão ser basicamente os mesmos ou muito semelhantes, só limitando a frequência no caso dos ryzen de primeira e segunda geração.

      Sobre as memórias chinesas, é uma ideia que venho levando em consideração a algum tempo, o problema é que para testar esses produtos preciso adquirir os mesmos e para isso preciso dispor de uma certa “folga” no orçamento ou ponderar o que é prioridade antes.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: