Overclock Extremo

Overclock no Pentium Gold G7400 – 5.6 GHz e subindo?

Recentemente, além do review do i3 12100F, também foi abordado em outro artigo a respeito do overclock em CPUs Alder Lake "Non-K", algo que se tornou uma possibilidade nessa geração, ainda que não exatamente pela vontade da Intel e limitado apenas a algumas placas-mãe DDR5 equipadas com gerador de clock externo. Sabendo disso e do potencial desses processadores, porque não testar o overclock "Non-K" em mais modelos diferentes... Continue lendo!

Fala pessoal, tudo certo?

Recentemente, além do review do i3 12100F, também foi abordado em outro artigo a respeito do overclock em CPUs Alder Lake “Non-K”, algo que se tornou uma possibilidade nessa geração, ainda que não exatamente pela vontade da Intel e limitado apenas a algumas placas-mãe DDR5 equipadas com gerador de clock externo. Sabendo disso e do potencial desses processadores, porque não testar o overclock “Non-K” em mais modelos diferentes? 😀

A vítima da vez foi o Pentium Gold G7400, que se trata de um dual core com HT, frequência base de 3.7 GHz sem boost, TDP de 46W e preço abaixo dos R$500.

Alguém pode sugerir que apenas dois núcleos em pleno 2022 pode ser um baita fator limitante, reduzindo o uso de uma CPU como essa a máquina de escritório ou uso leve, o que, de certa maneira, é verdade, porém, existe o ranking de CPUs “dual-core” no HWBOT e é exatamente para esse nobre fim que esse Pentium será usado! 🙂

O hardware utilizado é o mesmo dos demais artigos envolvendo a plataforma LGA1700, incluindo a ASUS Maximus Z690 Apex, 2×8 GB ADATA 4800 CL40, RX 5500 XT 8 GB, watercooler custom da bancada e a Antec TruePower Quattro 1200W, além é claro, do próprio Pentium G7400.

Naturalmente, o primeiro teste foi feito na água, visando verificar se o tal Pentium Gold é realmente “gold”, onde a princípio, foi aplicada uma tensão na casa dos 1.4V com LLC5 enquanto ia subindo a frequência e testando se o processador completaria o Cinebench R20 nessas condições.

Começou nos 5000 MHz, 5100, 5200, 5300, e aqui ele já estava melhor que o i3 12100F! 5400MHz, a CPU não parava de subir e seguia completando o Cinebench R20 com ganhos e sem incremento de Vcore, 5500MHz (!) e por fim, 5600MHz!!! 5600MHz com refrigeração ambiente com tensão relativamente baixa na CPU, de fato, o “Gold” no nome dessa CPU definitivamente não se trata de propaganda enganosa! 😀

Tomando por base a qualidade desse exemplar, então, a ideia foi tentar chegar aos limites com o que tinha em mãos no momento, ou seja, o bloco foi remontado usando metal liquido e o ar condicionado do laboratório ligado no modo “Antártico”.

Com isso, foi possível esticar a frequência da CPU um pouco mais, atingindo algo entre 5600 e 5650 MHz, dependendo do benchmark, o que é incrível para refrigeração a água e talvez um indício de que esse exemplar tenha potencial para ir além.

Com resultados tão expressivos já na refrigeração a água, partir para o OC Extremo torna-se inevitável, então, para isso, além de ter montado o SF3D Inflection Point na placa, que já estava pré-isolada de outras sessões, foram escalados 1.5Kg de gelo seco, o que, em tese, já seria o suficiente para fazer um baita estrago nos rankings…

… Só que a vida, ela é uma caixinha de surpresa e infelizmente, as coisas acabaram não funcionando da maneira esperada, com o G7400 não escalando a frequência além daquilo que foi possível de se obter com refrigeração a água, onde aparentemente, a limitação parece estar relacionada ao BCLK, existindo uma “muralha” na estabilidade com pouco mais de 152 MHz e isso sem considerar que o comportamento da CPU parece ter ficado pior ao baixar a temperatura muito além de 0 °C, o que é algo estranho para os Alder Lake.

Durante a sessão, foram feitas inúmeras tentativas ou ajustes para mitigar esses problemas, onde o ajuste “FLL OC Mode” em “Extreme Elevated” foi o único que parece ter feito alguma mínima diferença na situação, permitindo rodar o Cinebench R20 @ 5650 MHz, um ganho muito pequeno em relação ao obtido usando refrigeração a água.

Isso significa que desisti dessa CPU e que o limite é esse mesmo? Não exatamente! Ainda existem algumas cartas na manga e coisas a se testar, mas isso será assunto para os próximos posts! 😉

E por hoje é só! Dúvidas, críticas e sugestões são bem-vindas e até a próxima!

Gostou desse artigo? Ele lhe foi útil? Contribua com o apoia-se da página para que seja possível continuar trazendo novos conteúdos aqui na The Overclocking Page!

3 comentários

  1. Eu leio todos os artigos desse site, resolvi comentar

    Parabens pelo site!

    Vai rolar um teste desse overclock em jogos? só pra ver o ganho de fps 😀

    Curtir

Deixe uma resposta para Allan Arantes Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: