Overclock Extremo

Ryzen 7 3800X – Overclock extremo e resultados

Fala pessoal, tudo certo?

Logo no lançamento da 3ª geração dos Ryzen, compartilhei com vocês dois artigos sendo o primeiro uma espécie de review, onde abordei vários detalhes sobre os novos CPUs, resultados nos benchmarks em condições civilizadas e também uma primeira sessão no gelo seco enquanto que no segundo, já “chutei o pau da barraca” e fui direto para o LN2. Em ambas ocasiões, usei o Ryzen 5 3600 que tive o privilégio de “binar” dentre nove unidades antes do lançamento e desde então, venho utilizando esse mesmo CPU em vários artigos aqui na página e também para competir no HWBOT, especialmente em benchmarks 3D.

Mas por esses dias, chegou aqui um pacote vindo da AMD com algumas coisas interessantes e a princípio gostaria de compartilhar com vocês o mais novo CPU “da casa”, dêem as boas vindas ao Ryzen 7 3800X! 🙂

O R7 3800X se trata de um octa-core com 1 CCD e em relação ao R7 3700X, que é o outro CPU com configuração similar na linha, mudam os clocks, TDP, binagem dos chips, sendo que os melhores dies tendem a ser utilizados nos R7 3800X e preço. Esse CPU que recebi é na verdade uma amostra aleatória que não foi pre-testada e a julgar pelos testes preliminares, me parece ser um exemplar de qualidade mediana, tendo sido capaz de sobreviver por meia hora do stress test de AIDA64 @ 4400MHz 1.38125V LLC2 enquanto usando uma ASRock B450M Steel Legend, que é a outra “coisa interessante” desse pacote que recebi e que devo publicar a analise em breve! 😉

Enfim, feitas as apresentações da vítima CPU e do que ela é capaz de fazer com refrigeração ambiente, chegou a hora de ver o que ele pode fazer no OC Extremo não é mesmo? Vamos as configurações utilizadas!

Configurações utilizadas:

CPU: AMD Ryzen 7 3800X (Obrigado AMD!)

MOBO: ASUS ROG Crosshair VII Hero (Biost: 2801)

VGA: ASRock Radeon 5700XT Challenger

RAM: 2x8GB G.Skill FlareX 3200 CL16

REFRIGERAÇÃO: Watercooler custom (GPU) e SF3D Inflection Point (Kingpin KPX) + 1Kg de gelo seco

STORAGE: SSD Crucial BX300 120GB

Software utilizado: Windows 10 x64 build 1903, Cinebench R11.5/R15/R20, Geekbench 3.4.2, CPU-Z 1.90, 3DMark e Benchmate 0.93 para poder usar W10 na plataforma AM4 livremente no HWBOT. 😉

Objetivo dos testes: Descobrir o limite do Ryzen 7 3800X usando refrigeração extrema (Gelo seco) visando extrair performance máxima nos benchmarks e verificar o seu comportamento nessas condições. Os detalhes de como foram conduzidos os testes e metodologia estão descritos no texto que acompanham os resultados.

Resultados:

Como mostrei no artigo de teste o R5 3600 no LN2, é necessário fazer uma série de ajustes para que o CPU funcione bem com temperaturas muito abaixo dos -60ºC e como isso envolve limitar o FCLK à algo como 1466MHz~1533MHz, o desempenho em benchmarks que dependem muito do subsistema de memória tende a ser um tanto aquém do esperado, entretanto, com gelo seco isso não é um problema e assim é possível rodar com FCLK @ 1866MHz+, o que é especialmente bom nos 3dmarks e Geekbench da vida.

Esse meu exemplar foi capaz de completar os Cinebench R11.5/R15/R20 @ 4850MHz com cerca de 1.5V no vcore e segundo o banco de dados do HWBOT, obtendo resultados comparáveis aos dos i9 9900K rodando @ 5850MHz na mesma faixa de temperatura, números bastante sólidos se me perguntarem o que acho! 🙂

Também rodei o Geekbench 3 e o benchmark do CPU-Z (why not?) e por serem benchmarks mais leves, consegui passar o primeiro @ 4875MHz e o segundo @ 4900MHz, quebrando as barreiras dos 6400 pontos e 600 pontos em single thread, respectivamente. Sobre a pontuação multithread no GB3, a mesma é comparável a do R7 2700X rodando @ 5.5GHz, um salto considerável entre as gerações.

Mas não parei por ai e também parti para o 3DMark! Lembram que não muito tempo atrás publiquei um artigo sobre overclock extremo na ASRock 5700XT Challenger? Naquela ocasião, estava com o R5 3600 e ainda sim tinha conseguido obter o primeiro lugar tanto no FS quanto no FSE, sendo que no primeiro estava limitado pelo número de cores já que esse benchmark escala bem com até 16 núcleos. Desde a publicação desse texto até hoje, outro overclocker chegou no ranking com um i9 7960XE e me jogou para o segundo lugar do Fire Strike, então, aproveitando que ainda estou com essa VGA em mãos, resolvi “mergulha-la” novamente e ver o que o R7 3800X poderia fazer por mim…

… E fez! Não só recuperei o primeiro lugar como abri uma vantagem de cerca de 1000 pontos para o segundo lugar!!! Agora o que me resta é ver quanto tempo ainda vou durar na liderança hehe 😀

Por fim, também consegui validar 5.1GHz usando o Ryzen Master, sendo que subi apenas o clock de um dos cores (o marcado com uma estrela) e por falta de “combustível”, que já estava no fim, acabei não testando os demais, de todo modo, uma marca bastante decente para esse exemplar.

https://valid.x86.fr/v55w4n

E como não poderia faltar, segue a tradicional foto do sistema congelado:

Conclusão:

O R7 3800X foi bem e sobreviveu a sessão de overclock usando gelo seco, não apresentando problemas ou quaisquer complicações no ajuste. Sobre os resultados apresentados, apesar da amostra não ser “gold”, ainda sim, os números obtidos foram excelentes e ilustram o grande potencial dos Ryzen para uso em benchmarks competitivos e disputa em rankings do HWBOT, especialmente agora que é possível usar a plataforma AM4 com Windows 10 por lá.

Mais uma vez, fica o agradecimento a AMD pela amostra! 🙂

Até a próxima!

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s