Artigos, Placas-Mãe

[Review] ASRock B450M Steel Legend

Fala pessoal, beleza?

Nesse review irei analisar a ASRock B450M Steel Legend, que trata-se de uma placa-mãe AM4 de baixo-custo no formato mATX da ASRock com 4 slots de memória, chipset B450, o que significa que temos a disposição suporte a USB 3.1, NVMe, SATA RAID e também overclock no CPU.

Em relação a caixa, a ASRock adotou um grafismo imitando aço e na parte de trás, temos uma foto da placa com as suas especificações com destaque a alguns features como o slot PCI-E reforçado, PCB com 2 onças de cobre, dois M.2 e também a componentes utilizados na placa. Também é digno de nota que esse modelo está sendo fabricado no Brasil e por isso todos os textos da caixa foram traduzidos para o português, o que é algo bem legal!

Do kit de acessórios, acompanham a placa: Espelho traseiro, DVD com drivers, dois cabos SATA, adesivos, manual e dois parafusos pros M.2.

A B450M Steel Legend resolveu usar uma “textura” diferenciada no PCB, muito similar a aquela usada na caixa da placa e que lembra um pouco as camuflagens militares próprias para uso na neve. Ainda sobre essa questão estética, se destacam o uso de LEDs RGB na carcaça plástica localizada próxima ao VRM e também na região do dissipador do chipset.

Sobre o layout da placa, a ASRock fez um excelente trabalho não deixando margem para pontos negativos nesse quesito. Destaco o uso de slots de memória com travas de um só lado, fan headers bem distribuidos (2 próximos ao socket, 2 na parte inferior da placa e no centro, na lateral esquerda) e inclusão de dois conectores M.2 sendo ambos posicionados de maneira inteligente de forma a evitar problemas com a temperatura dos SSDs por conta de fatores como o GPU.

Essa placa oferece quatro portas SATA e dois M.2, sendo o primeira ligada ao CPU e a segunda ao B450. É importante salientar que apenas a primeira M.2, chamada de Ultra M.2, suporta dispositivos NVMe enquanto que a segunda apenas aceita dispositivos SATA M.2 e é compartilhada com a porta SATA 3_3, o que significa que só é possível usar ou um ou outro.

Tanto o codec de áudio (ALC892) utilizado quanto a LAN (RTL8111H) são fornecidos pela Realtek, sendo que o primeiro foi montado em uma camada isolada do PCB como é de praxe atualmente e não possui isolamento metálico contra EMI. Esses dispositivos estão meio que na “média” para as placas dessa faixa de preço e cumprem o seu papel de maneira aceitável porém não brilhante.

Sobre o espelho traseiro, temos 2 portas USB 2.0, 6 portas USB 3.X, uma PS/2, LAN, saídas de vídeo DP 1.2/HDMI e painel de som com 6 conectores, o que está considero bastante decente para uma placa como essa.

Em relação ao conjunto de dissipadores do VRM, a ASRock adotou dissipadores de alumínio cujo apelo é claramente estético e apresentam apenas algumas ranhuras para fazer papel das aletas, sendo que no caso do VDDCR, essas “aletas” ficam cobertas pela carcaça plástica, o que provavelmente não deve ajudar muito na dissipação de calor. É digno de destaque o bom contato com dos mesmos com os mosfets e o uso de parafusos para fixação.

A respeito do VRM, a o fabricante por um arranjo de 4+2 (VDDCR+VDDSOC) fases usando o controlador uP9505P, os mosfets utilizados são um Sinopower SM4337 (high side) e dois Sinopower SM4336 (low side) por fase, sendo que os SM4337 suportam uma corrente máxima de 35A @ 100ºC e possuem um Tr (tempo de subida) de 7.6ns e Tf (tempo de queda) de 11.6ns, enquanto os SM4336 apresentam rds(on) @ Vgs = 10V de 5.3mΩ, o que é algo mediocre mas que deve ser reduzido a “menos piores” 2.65mΩ por conta dos dois mosfets de baixa em paralelo. Nas 2 fases para o VDDSOC, são adotados os mesmos mosfets, porém, usando dois SM4337 de alta em paralelo, e somado a isso temos o dissipador, o que significa que essa placa não deve apresentar problemas mesmo ao se usar uma APU com overclock no IGP.

Considerando uma frequência de chaveamento de 300KHz e tensão de saída de 1.4V, para uma carga de 50A (APUs e R5 3600) no VDDCR, a dissipação desse VRM deve ser de cerca de 5.52W, já para 80A (R7 3800X) esse número vai para 10.3W, enquanto que para 100A (R7 2700X e R9 3900X stock) o valor salta para 14.2W e por fim, para 150A (R9 3950X+) sobe para inviáveis 26.9W. Esses valores nos dizem que muito provavelmente essa placa não deve ter problemas para suportar um CPU como o R7 3800X, entretanto, as coisas podem começar a ficar mais “animadas” do R7 2700X em diante, possívelmente sendo necessário adaptar um fan para refrigeração do VRM. Adiante veremos como essa placa se saiu na prática. 😉

O VRM das memórias é de apenas uma fase e utiliza mosfets SM4337 controlados por um RT8120, o que significa que o procedimento para voltmod para a tensão das memórias nessa placa deve ser simples, conforme explicado na citação abaixo:

Caso alguém tenha interesse em fazer o vmod para o VDIMM, basta soldar um VR de 20kΩ do pino 6 do RT8120D para o terra (GND), lembrando que qualquer modificação na placa anula a garantia da mesma.

Em relação a UEFI,  interface gráfica da ASRock apresenta design muito bem elaborado, boa organização e usabilidade, sendo que não existem opções faltando ou coisa do tipo, pelo contrário, essa placa surpreende por oferecer ajustes de tensão em valores fixos e até mesmo ajuste de LLC (Loadline Calibration) para o VDDCR/VDDSOC, algo que é bastante incomum de ser visto em placas dessa faixa de preço.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Dos ajustes de tensão principais, o VDDCR (CPU Core Voltage) vai de 0.9V até 1.7V no modo “manual”, o VDDSOC (CPU NB/SOC Voltage) de 0.9V até 1.7V no “manual”, o ajuste de LLC apresenta cinco níveis e a tensão das memórias (DRAM Voltage) tem limite de 1.4V com granularidade de 0.5V, sendo esse último o único ponto negativo que encontrei, pois isso certamente irá limitar a frequência máxima de memória a ser obtida em boa parte dos chips DDR4 disponíveis.

Caso alguém tenha interesse, segue o link para site do fabricante, onde consta as especificações do produto. Vamos então as configurações utilizadas e resultados!

Configurações utilizadas:

CPU: AMD Ryzen 7 2700X / AMD Ryzen 7 3800X (Obrigado AMD!)

MOBO: ASRock B450M Steel Legend (BIOS: 2.70 – Obrigado Terabyteshop!)

VGA: ASRock Radeon 5700XT Challenger

RAM: 2x8GB DDR4 G.Skill Flare X 3200CL14 / 2x8GB Crucial Ballistix LT 3200 CL16

REFRIGERAÇÃO: Watercooler custom e IC Graphite Thermal pad

STORAGE: SSD Crucial BX300 120GB

EQUIPAMENTOS EXTRAS: Termômetro digital HDT 6002.

Software utilizado: Windows 10 x64 build 1903, AIDA64 6.00.5134 Beta, TM5 0.12 v3, HWiNFO 6.12.

Objetivo dos testes: O objetivo desse artigo é verificar o quão bem a ASRock B450M Steel Legend se sai naquilo que diz respeito a overclock de memória, testar o desempenho térmica da placa em condições de stress usando o Ryzen 7 2700X e Ryzen 7 3800X.

Explicações acerca da metodologia adotada ou de como os testes foram conduzidos estão contidas nos textos que acompanham os resultados a seguir.

Resultados:

O primeiro passo aqui foi testar até onde a ASRock B450M Steel Legend conseguiria ir em termos de overclock de memória devido ao já conhecido impacto que isso trás no desempenho dos Ryzen. Para isso, optei por usar o Ryzen 7 3800X devido ao controlador de memória consideravelmente superior ao das gerações anteriores e dois kits de memória, um Samsung B-Die e outro com Micron E-Die. Como os Ryzen de terceira geração apresentam melhor desempenho enquanto usando MCLK:FCLK:UCLK em 1:1:1, conforme já expliquei em mais detalhes nesse artigo, o objetivo aqui foi verificar se essa placa-mãe da conta de chegar nos 3733MHz 1:1 com estabilidade, sendo essa um bom “alvo” para uso diário.

Dessa forma, utilizei ajustes de subtimings manuais bastante parecidos com aqueles que apresentei nesse review e também utilizei o TM5 para atestar a estabilidade do overclock. Como já era esperado, o ajuste de tensão das memórias limitado a apenas 1.4V acabou impossibilitando de ir além dos 3533MHz 16-16-16-16-38 com estabilidade enquanto usando as Samsung B-Die, entretanto, com as Micron E-Die foi possível atingir os 3733MHz 16-18-18-18-36 com estabilidade apenas carregando o XMP e aplicando os 1.4V nas memórias.

Para verificar a temperatura dos circuitos de alimentação, instalei um termopar com um thermal pad grudento na parte de trás da placa, logo atrás do VRM devido ao fato de ali ser um “hot spot” , basicamente algo muito parecido com o que o Buildzoid fez nesse vídeo. Lembrando que o delta entre a temperatura medida pelo termopar e a do mosfet não costuma ser maior do que 5ºC.

Para obter os resultados abaixo, utilizei o stress test do AIDA64 em suas configurações padrão durante 30 minutos e após isso registrei os números no gráfico da galeria abaixo, que se referem ao delta de temperatura (delta = temperatura obtida no termopar – temperatura ambiente). Para as configurações em overclock, o R7 2700X foi ajustado em 4100MHz 1.3375V LLC2 – VCCSOC 1.00625V LLC2 e o R7 3800X em 4400MHz 1.38125V LLC2 – VCCSOC 1.00625V LLC2. No teste com “carcaça removida”, retirei aquela capa de plástico que cobre o dissipador do VDDCR e o espelho traseiro para ver se faria alguma diferença no resultado final e para isso testei o mesmo apenas na pior situação possível.

Como é possível ver, apesar do delta considerável, implicando em temperaturas pouco acima de 100ºC para o VRM consderando um ambiente em 25ºC enquanto usando o R7 2700X (TDP 105W) com overclock, a B450M Steel Legend não apresentou throttling no CPU em momento algum. Remover a carcaça plástica acarretou em uma diminuição de 5.8ºC na temperatura do VRM, o que é algo considerável, especialmente em uma situação “limite” como essa em que a região já excede os 100ºC com o CPU em stress.

Já em relação ao R7 3800X, as coisas ficaram bem mais tranquilas com um delta de temperatura abaixo dos 45ºC mesmo considerando o CPU com um forte overclock, o que considero um bom resultado. Apenas lembrando que apesar de ambos CPUs terem TDP de 105W, o que realmente vale para o VRM é a corrente demandada, sendo que na realidade, o TDP trata-se de uma “referência” de dissipação térmica do CPU. Sobre as correntes em carga, o R7 3800X OC mal chega nos 80A enquanto o R7 2700X OC chega a apresentar picos acima dos 100A em load, o que como já mostrei anteriormente, faz uma diferença considerável na dissipação de calor do VRM.

Conclusão:

A ASRock B450M Steel Legend se mostrou uma placa-mãe bastante digna, entregando qualidade de construção razoável, excelente layout, interface/usabilidade da UEFI muito bem pensadas e também suporte aceitável para CPUs com TDP de 105W, em especial com o R7 3800X enquanto que com o R7 2700X, apesar da placa não ter apresentado throttling, as temperaturas registradas foram um tanto quanto elevadas, o que inspira cautela e possivelmente a necessidade de tirar a boa e velha adaptação do fan soprando no VRM da gaveta.

Dos pontos a melhorar, posso citar o ajuste de tensão das memórias, que acabou sendo um fator limitante para a frequência máxima estável mesmo a nível de uso diário e a parte da dissipação de calor do VRM, que poderiam ter conciliado melhor estética com desempenho.

Em relação ao Custo beneficio, o último preço praticado para esse produto nos nossos parceiros da Terabyteshop foi de R$579.00 (em 27/10/2019), o que está mais ou menos dentro do preço praticado para outras placas B450 similares em termos dos recursos oferecidos e qualidade de construção. Nesse ponto, também é evidente que existem produtos concorrentes com melhor preço no mercado, entretanto, se você procura uma placa com bom visual, layout decente e pretende fugir das “bios com interface soviética”, a ASRock B450M Steel Legend certamente é uma boa opção a se considerar!

E por hoje é só! Dúvidas, críticas e sugestões são bem-vindas! Até a próxima!

47 comentários em “[Review] ASRock B450M Steel Legend”

      1. Entendi, essa vmod no caso seria o de mudança física na estrutura da placa, certo? ou é possível em um possível bios mod feito pelo 1usmus ou the stilt? (não sei se você conhece). Atualmente possuo essa placa com um kit de memórias b-die e o melhor resultado que consegui por 3600 cl15 por causa dessa limitação de voltagem

        Curtir

  1. Quando vejo uma placa dessa da até vontade de chorar por ter comprado a Aorus B450 M com sua bios tosca que não me permite overclock nenhum e tendo que usar o meu 2700 em stock. Agora só lamentar mesmo.

    Curtir

    1. Olá Edson,

      Rapaz, sobre a B450 Aorus M, tive aquele problema que relatei no review referente a placa não querer funcionar com o CPU de 2ª geração depois de ter usado o de terceira, porém, não tive nenhum problema com relação a placa não fazer overclock pois caso contrário teria apresentado o mesmo no artigo, o que é até óbvio.

      O problema persiste independente da versão de bios utilizada? Se você realmente tem certeza que está tudo certo com o resto do hardware, com os ajustes feitos e a placa estiver ainda na garantia, sugiro tentar fazer RMA pois ai é inegável que a mesma está com algum defeito.

      Curtir

      1. Gian entrei em contato com a Gigabyte via e-mail e a resposta deles foi que não dão “suporte a overclock” e que se a placa está funcionando em stock ela está perfeita. Reposta que me deixou indignado! Falei que estava muito feliz em não ter pago muito mais em uma X570 ou coisa semelhante da Gigabyte, pois essa resposta era um contra senso tendo em vista que existe ajustes na bios para isso bem como se a pessoa não pretendo nada nesse sentido exite placas mais básicas para o mesmo desempenho stock. Ou seja! Existe outros com esse mesmo relato de problema com a placa e como na última bios b42g é em todas as outras. Um fiasco de placa junto a essa aí.

        Curtir

      2. Deixaria qualquer um indignado né? Eles podem não suportar o “ato” de fazer overclock em si, mas se as opções existem e não estão funcionando como se deve, tendo a certeza de que não é outra a causa do problema, deveriam prestar suporte ou mesmo substituir o produto.
        Enfim, lamento muito pela sua situação com a placa e sei o quão frustrante isso é, gastar nosso suado dinheiro em algo que acaba te decepcionando dessa forma é realmente muito ruim!

        Curtir

    1. Olá Thiago,

      Creio que no caso isso dependa mais do SSD que você está usando, além da ventilação do seu gabinete.
      O layout dessa placa é bem pensado e as M.2 não ficam “cobertas” pela VGA, então problemas de aquecimento do SSD especificamente por esse motivo você não vai ter e de todo modo, na pior das hipóteses você pode comprar dissipadores e adaptar no M.2.

      Curtir

    1. Olá Mykaell,

      Esse modelo possui VRM de 3 fases porém utiliza 2 mosfets de alta e de baixa, o que significa que muito provavelmente deve ser “ok” do ponto de vista da dissipação de calor, isso se os dissipadores utilizados nessa placa forem ao menos razoáveis.
      Enfim, nunca testei esse modelo e não sei te dizer como esse design se sai na prática, mas se a ideia for usar até no máximo um R7 3800X nela, muito provavelmente não terá problemas.

      Curtir

      1. Agradeço GIANCARLO, estou pensando em pegar ASROCK B450 PRO e um Ryzen 2700 com O.C para 4,0Ghz e refinar o máximo o VCORE.

        Curtir

  2. Qual a possibilidade de testar a Asus tuf b450-pro gaming? Sera que segura um 3700x com over moderado e nas memórias?
    Essa placa com a sua habilidade, seria uma maravilha o review. abraços

    Curtir

  3. Olá, pelo que entendi ela suporta um R7 3700x em overclock tranquilo, é isto? Quanto ao segundo slot m2 se eu colocar um ssd m2 nvme ele irá funcionar como sata ou nem irá funcionar por ser nvme?

    Curtir

      1. Obrigado pela resposta, só não entendi uma coisa, se eu colocar um ssd m2 nvme ele nem vai funcionar ou ele irá funcionar só que com velocidade de sata?

        Curtir

  4. Giancarlo, primeiramente muito obrigado pelo trabalho que vêm realizando no site. Muito completo e esclarecedor!

    Me tira uma dúvida. Entre essa steel legend e a b450 aorus m que você fez o review à um tempo atrás, qual das duas você me recomenda, em relação a OC de RAM e uso do PBO com um Ryzen 3600?

    Apesar das duas terem resultados parecidos, a aorus tem uma fase a mais para as memorias, enquanto a steel legend tem um dissipador a mais…

    Obrigado e continue com o ótimo trabalho!

    Curtir

  5. Seria interessante você ter deixado as imagens da Bios com os set do Ryzen 3800X com OC, poderia me basear +- tentando deixar meu 3600 @4.3GHz. Não estou conseguindo mesmo com 1.4V 😦

    Curtir

    1. Olá Junior,

      Isso é basicamente setar a frequência do CPU e a tensão, não tem nenhum segredo nesse caso. Você provavelmente não está conseguindo 4.3GHz no seu R5 3600 por conta da boa (ok, nem tão boa assim) e velha loteria do silício… E não são muitos R5 3600 que fazem 4.3GHz estáveis para uso diário. :/

      Curtir

      1. Muito obrigado pela resposta!

        Atualmente estou utilizando em @4.00GHz com 1.16250v, com XPM 3200MHz OC p/ 3600MHz 1.35v 16-19-16-36-58

        CPU Vcore Voltage (Offset Mode)
        +6.25v
        CPU Load-Line Calibration (Level 3)

        VDDCR_SOC Voltage (Offset Mode)
        +6.25v
        CPU Load-Line Calibration (Level 3)

        Core Performance Boost – Disabled
        Precision Boost Overdrive – Disabled

        Tem algo que poderia melhorar? Gostaria de usar ele em @4.20GHz 24/7, tem alguma chance? Se puder me ajudar.. Ficaria agradecido!

        Curtir

      2. Você pode setar a tensão do CPU no modo manual (Fixed Mode) e tentar descobrir o quanto o seu CPU precisa para fazer 4.2GHz com estabilidade.

        Isso vai variar com a qualidade da sua amostra, os melhores R5 3600 devem fazer 4200 com 1.2V ou menos enquanto que os piores podem não fazer isso nem com 1.4V.

        Curtir

  6. Excelente review. Como muitos aqui também estou em duvida entre essa ou a Aorus B450 M. Oque mais me preocupa em relação a essa da Asrock e ela não ter dual Bios e não vejo ninguém falando sobre isso. Oque me fez pensar se dual bios ainda é algo importante a se levar em consideração na hora de escolher uma mobo ?
    E a Asrock possui alguma outra tecnologia pra fazer recuperação da bios caso corrompa?

    Curtir

    1. Olá Lucas,

      A ASRock não tem dual bios ou outro mecanismo simples para recuperar a bios caso venha a corromper.
      Um detalhe sobre a solução da Aorus, é que nessa placa, o dual bios é uma solução por software e as vezes acontece dele bugar e interpretar como “bios corrompida” alguma tentativa de overclock que foi “arrojada” demais e acabou falhando, então evidentemente não trata-se da melhor solução também…

      Curtir

      1. Ah sim, entendi. Esses tipos de bugs e problemas relatados também la nos comentários do seu review da Aorus me fizeram desistir de pegar ela, vejo muitos se estressando com essas bios bugadas da Gigabyte… vou pegar a Steel legend ou a Pro 4 da Asrock mesmo.

        Curtir

      2. Lendo meu comentário novamente, acho que cabe um esclarecimento da minha parte sobre o que quis dizer com “soluçao por software” pois pode gerar dúvidas em outras pessoas:

        Você de fato tem dois chips de memória flash na placa, porém, não existe controle por parte do usuário (leia-se, uma chavinha ou coisa do tipo) sobre o funcionamento desse sistema, ou seja, esse gerenciamento é feito via software e é a isso que me referi como solução “via software”.

        Curtir

  7. Belo artigo man!! Poderia me tirar uma dúvida? eu tenho limitação no número de fans com essa placa mãe? do tipo meu gabinete tem suporte para até 6 de 120mm, mas as a placa mãe não possui esse número de entradas?

    Curtir

    1. Olá Eduardo,

      Como mostrei no artigo, ela deve levar o R7 3800X sem problemas e possivelmente o R9 3900X também, ainda que no caso desse último, as temperaturas devem ficar na casa dos 90ºC para o VRM em load (stress test, renderizando alguma coisa do Blender/Corona e afins, jogando certamente a temperatura será mais baixa).

      Curtir

  8. Acabei de adquirir uma placa mãe dessas com um 3800x e um kit de memórias Crucial Ballistix Sports LT 3000mhz 1.35v, estou rodando a 3200mhz sem maiores problemas, porém não consigo estabilizar a 3400mhz, teria alguma dica para estabilizar a essa frequência e seria possível chegar aos 3600mhz considerando a limitação de voltagem a 1.40v?

    Curtir

  9. Olá bom dia, tudo bem ? Excelente artigo parabéns! eu tenho uma duvida, a mobo tem diversas marcas, como só fosse um Óleo, a minha veio com isso da loja também, eles disseram que era normal, que é uma especie de proteção para não oxidar, no caso da imagem ali, sua passou por algum procedimento de limpeza, talvez tenha passado um limpa contato ou ela está da mesma forma que tirou da caixa?
    De qualquer forma agradeço,
    Um abraço!

    Curtir

  10. Giancarlo, estou com essa mobo e um r5 3600x, porém nao encontro estabilidade para 4.3ghz, atualmente esta em 4.25ghz 1.35v + memos 2x8gb 3533mhz cl16-14-14-30 1.4v, teria alguma dica para alcançar pelo menos os 4.3ghz nessa mobo, ou se compensa eu pega uma b450m mortar titanium q talvez melhore meus resultados.

    Curtir

  11. Olá , eu estou usando um R7 3700x com essa Steel legends , minha experiencia com AMD é zero , o problema é que o clock base dele é 3600mhz , mas em jogos ele esta chegando a 4300mhz , dando variadas p 4225mhz , meu medo de usar assim é o vrm ficar aquecendo , e para mim 3600mhz já estava ótimo , porem não sei nem por onde começar para setar isso lá nas Bios , não entendo muito , e tenho medo de mexer lá nas bios sem saber com certeza o que colocar

    Curtir

      1. Olá , desativei o boost , achei que o vcore fica muito alto com ele ativado , fica em 1.40 , como não sei mexer nisso , desativei e to em 3.6ghz , vcore a 1.1 , as temperaturas estão ótimas , acho que quando eu sentir a necessidade de usar mais poder de processamento eu ativo de novo e tento ver o que dá para fazer em relação ao vcore , meu foco é full hd 60 fps , então 3.6ghz esta muito bom já para mim , muito obrigado pela resposta ,

        Curtir

  12. esta placa não dá um recover de um bad overclock? setei o ryzen para 4000 e não dava post de jeito nenhum. tento usar a XMP da ddr4 e ela não liga. quando volta, a instalação do windows está corrompida. devido a isto, as corsair ddr4 3000 só funcionam a 2133. qd setei o ryzen 5 3600 para 4000 não ligou mais de jeito nenhum. dei clear cmos e nada…tive que abrir o gabinete, retirar a bateria e depois dar uns 3 clear para ela ligar. há 10 anos as minhas mobos já davam recover. o review é excelente, de alto nível, mas achei a placa uma decepção total.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s