Artigos Memórias

2×8 GB XPG Gammix D20 3200CL16 – Micron B-Die – Testes e resultados

Nesse review irei analisar um kit de memória da XPG, pertencente a série “Gammix D20”, a qual oferece modelos que vão dos 3200MHz até 4133MHz, com capacidades que partem dos 8 indo até 32 GB, podendo ser adquiridos separadamente ou em kits de 16 GB, ou 32 GB. O produto dessa análise é um kit de 16 GB com dois módulos, frequência de 3200MHz, timings 16-20-20-38 e tensão de operação de 1.35V... Continue lendo!

Fala pessoal, tudo bom?

Nesse review irei analisar um kit de memória da XPG, pertencente a série “Gammix D20”, a qual oferece modelos que vão dos 3200MHz até 4133MHz, com capacidades que partem dos 8 indo até 32 GB, podendo ser adquiridos separadamente ou em kits de 16 GB, ou 32 GB. O produto dessa análise é um kit de 16 GB com dois módulos, frequência de 3200MHz, timings 16-20-20-38 e tensão de operação de 1.35V.

Os pentes de memória vem em uma caixa retangular vermelha com uma ilustração do produto, onde também constam informações a respeito da capacidade e frequência de funcionamento, enquanto na parte traseira, é possível ver duas janelas que permitem a visualização das etiquetas com as especificações dos módulos

Em relação ao dissipador, a XPG optou por um dissipador de alumínio simples sem iluminação RGB, o qual é oferecido em duas cores, preto ou cinza “tungsten gray”.

O Thaiphoon Burner identificou os chips como Micron B-Die, os quais não costumam escalar com tensão além de normalmente apresentarem frequência máxima na casa dos 3600MHz, portanto, é de suma importância desde já destacar: Não confundam Samsung B-Die com Micron B-Die!

Cabe lembrar que também existe Micron B-Die de 16 Gbit, os quais andam sendo utilizados nos módulos de 16 GB da Crucial e ao que constam, também não tem nada a ver com os Micron B-Die de 8 Gbit, utilizados nessas D20.

Por fim, por ser uma linha de entrada, é comum que exista variação nos chips utilizados, inclusive, com relatos de XPG D20 vindo com Samsung C-Die, portanto, os resultados a seguir só servem como referência se as suas memórias utilizarem os mesmos Micron B-Die dessa amostra. 😉

Por fim, caso alguém venha a se interessar, nesse link é possível conferir a página do produto.

  • Configurações utilizadas:

CPU:AMD Ryzen 3 5350G (Obrigado AMD!)

MOBO: MSI B550 Unify-X (UEFI A.43O)

RAM: 2×8GB XPG Gammix D20 DDR4 3200 CL16 (Obrigado Terabyteshop!)

GPU: GIGABYTE RX 5500 XT 8 GB (Obrigado Terabyteshop!)

PSU: Antec Quattro 1200W

COOLER: Water Cooler da bancada

SSD: Sandisk 120 GB

Software: Windows 10 2004 x64, TM5 0.12 1usmus config v3, AIDA64 6.32.5600 e Geekbench 3.4.2.

Objetivo e metodologia dos testes: Descobrir qual o limite para uso diário das XPG Gammix D20 3200CL16 usando o Ryzen 3 PRO 5350G, além da frequência máxima para benchmarks nessa plataforma.  Para facilitar a compreensão dos resultados, eles foram separados em dois grupos:

1) XMP: Trata-se do máximo possível de se obter apenas carregando o perfil XMP e subindo clock/tensão, parando nos 4733MHz 1:1 com FCLK @ 2366MHz que é o limite para o exemplar de Ryzen 3 PRO 5350G utilizado, claro, isso se a memória que estiver sendo testada conseguir chegar lá.

A vantagem dessa abordagem é que ela é extremamente simples e não demanda nenhum ajuste do usuário no que diz respeito aos timings, entretanto, você paga o preço da simplicidade com menor desempenho, pois os ajustes são feitos automaticamente pela placa-mãe e podem ser bastante relaxados.

2) 24/7 com ajuste fino: E aqui, foram feitos ajustes manuais em todos os timings possíveis visando obter o melhor resultado possível com viabilidade para uso diário. Por conta disso, quando possível, será testado além dos 3800MHz para explorar qual seria o limite da memória em outras CPUs ou plataformas que se beneficiem das frequências elevadas, como, por exemplo, as APUs Renoir e Cezanne e os CPUs Intel, visando “ajudar” os donos dessas plataformas, porém, no caso dos Ryzen 3000 e 5000 baseados em chiplets, o ajuste de melhor desempenho e mais simples de ser obtido geralmente é aquele usando o FCLK sincronizado com a memória, no caso, 3800MHz (RAM) e 1900MHz (FCLK). Nesse artigo consta uma explicação detalhada do porque isso ocorre, de forma que fica a recomendação da leitura para uma melhor compreensão do assunto.

Nos casos 1 e 2, foram utilizados o TM5 0.12 1usmus config v3 para verificar estabilidade, o AIDA64 para ter noção dos números de banda/latência e o Geekbench 3.4.2 para ter uma melhor ideia do desempenho. Para esses testes, a CPU foi travada em 4.4GHz com 1.3V.

  • XMP:

Com essa abordagem, foi possível obter estabilidade no TM5 com 3600 MHz, onde aumentar a tensão da memória acabou por não fazer diferença alguma, seja na frequência máxima ou nas latências, o que era esperado para essas Micron B-Die.

É importante destacar que o tRFC foi de 880 em stock XMP e de horríveis 991 ao subir a frequência para 3600 MHz, algo que por si só deve estar “limando” o desempenho dessas memórias, portanto, em um caso como esse, o ajuste fino se faz ainda mais necessário.

  • 24/7 com ajuste fino:

Com os ajustes finos, foi possível melhorar consideravelmente vários timings relevantes para o desempenho, trazendo ganhos notáveis em relação ao XMP. Como é possível ver na tabela acima, não houve ganho de frequência, ficando notório o “muro” de estabilidade que existe nas Micron B-Die nesses 3600 MHz, porém, foi possível reduzir consideravelmente o tRFC e tFAW, resultando em ganhos acentuados nos benchmarks. A respeito dos timings primários, não foi possível aperta-los e relaxar também não resultou em ganhos de frequência, portanto, permaneceram iguais ao padrão.

Conclusão:

As XPG Gammix D20 3200 CL16 apresentaram boa compatibilidade com a plataforma AMD, funcionando normalmente com XMP. Ao se fazer overclock com o ajuste XMP, foi possível obter estabilidade em 3600 MHz, não sendo necessário nem sequer tocar no ajuste de tensão, porém, com a placa-mãe fazendo os ajustes automaticamente, timings como tRFC e tFAW acabaram ficando com valores extremamente altos, comprometendo o desempenho.

Já com o ajuste manual, foi possível obter 3600 MHz 16-20-20-20-38 e tRFC em 550 com os mesmos 1.35V, afinal, incrementos de tensão acabaram não fazendo diferença na estabilidade ou na frequência máxima atingida. Não houve estabilidade com frequência maior nem mesmo ao folgar ainda mais os timings primários.

Em relação à disponibilidade e preço, nesse momento (10/10/2021), as XPG D20 3200CL 16 se encontram em promoção na Terabyteshop por R$619,90, o que é um preço na média para um kit dessa capacidade, contudo, na mesma faixa de preço é possível encontrar até mesmo outros modelos da própria XPG, mais sofisticados e com maior capacidade de overclock, os quais seriam uma escolha mais acertada, nesse momento, em relação as Gammix D20.

E é isso! Dúvidas, perguntas e sugestões são bem-vindas! Até a próxima!

Gostou desse artigo? Ele lhe foi útil? Contribua com o apoia-se da página para que seja possível continuar trazendo novos conteúdos aqui na The Overclocking Page!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: