Reviews VGAs

Nova revisão da RX 6600M – Uma aula sobre como transformar um sucesso em fracasso!

Algumas semanas atrás, postei aqui no site o review da 51RISC RX 6600M, que provavelmente se trata da GPU "mais famosa" de 2022, a qual poderia ser adquirida via AliExpress por um preço bastante camarada, oferecendo desempenho muito próximo ou mesmo igual a da RX 6600 "comum", onde a placa testada apresentou excelente desempenho térmico e qualidade de construção bastante decente pelo preço... Continue lendo!

Fala pessoal, tudo bem?

Algumas semanas atrás, postei aqui no site o review da 51RISC RX 6600M, que provavelmente se trata da GPU “mais famosa” de 2022, a qual poderia ser adquirida via AliExpress por um preço bastante camarada, oferecendo desempenho muito próximo ou mesmo igual a da RX 6600 “comum”, onde a placa testada apresentou excelente desempenho térmico e qualidade de construção bastante decente pelo preço.

Porém, pouco antes da data de publicação do artigo original, o vendedor incluiu a informação de que eles poderiam enviar um segundo modelo de RX 6600M, o qual possui aparência um pouco diferente da placa testada, algo que inspira cautela e por esse mesmo motivo, foi feita a seguinte observação em destaque na conclusão do review:

Por fim e não menos importante, existem diversas marcas oferecendo modelos identicos a essa RX 6600M, enquanto a própria 51RISC agora está com um outro modelo diferente do testado, então, fiquem atentos na hora de fechar negócio, afinal, não se sabe exatamente quais mudanças que foram feitas nessa nova variante da 6600M.

Dito isso, teria alguma diferença significativa entre esses dois modelos? É exatamente sobre isso que se trata esse artigo em primeira mão, antes, porém, é necessário observar que o conteúdo (fotos, vídeo e teste) que mostrarei a seguir é de autoria de meu amigo Daniel “Skulltrail”, o qual comprou uma 6600M, recebeu essa segunda revisão mais recente e gentilmente cedeu as fotos, além de ter rodado alguns benchmarks a meu pedido, dito isso, fica o agradecimento ao Daniel. 😉

Começando pela aparência externa, aqui existem óbvias diferenças em relação ao modelo antigo, a começar do design da carcaça, saída de exaustão do espelho traseiro e do backplate.

Ao desmontar a placa, as coisas começam a ficar mais interessantes e as diferenças ainda mais evidentes, por exemplo, em relação a 6600M testada no review, a nova revisão usa um dissipador totalmente em alumínio e sem heatpipes, o que, obviamente, pode ter consequências na temperatura de operação da GPU, algo que veremos mais adiante.

Ainda em relação ao sistema de refrigeração, se o dissipador inteiro em alumínio ainda não foi suficiente em termos de corte de custos, o fabricante resolveu passar a tesoura nas ventoinhas utilizadas, empregando modelos sem sensor de rotação e PWM, o que, nesse contexto, significa que ou elas vão estar desligadas, ou ligadas em rotação máxima, o que coincide com as reclamações sobre essa nova versão da 6600M ser muito barulhenta em load.

Caso alguém queira ter uma noção melhor do quão barulhenta é essa placa, segue um vídeo dela rodando o Unigine Superposition. Reparem que em idle, as ventoinhas permanecem desligadas, porém, entram em rotação máxima assim que o benchmark começa a rodar.

Sobre o desempenho térmico desse malfadado sistema de refrigeração, como era de se esperar, foi inferior ao da RX 6600M que foi testada anteriormente, atingindo os 74 °C ao fim do Unigine Superposition 4K para uma temperatura ambiente reportada de 27 °C. Apesar desse número parecer ser razoável, cabe lembrar que a 6600M “antiga” apresentava um delta de 38,7 °C nessas mesmas condições de operação (completamente stock), enquanto a nova placa ficou nos 47 °C, o que é uma diferença significativa, ficando ainda pior se considerarmos a gigantesca disparidade no nível de ruído entre os dois modelos.

No gráfico, é possível ver o comportamento detalhado da 6600M rev 2.0 em termos dos clocks/temperaturas ao longo do benchmark e por meio dele, ficam visíveis que as oscilações na frequência da GPU em stock também foram maiores em relação ao modelo anterior.

Uma possível solução para o “inconveniente” da falta de controle da rotação das ventoinhas é botar a mão na massa e modificar a placa, trocando o cooler, ou, no mínimo, as ventoinhas originais, onde o Daniel optou por essa segunda opção e de acordo com ele, não houve maiores prejuízos as temperaturas, que permaneceram na casa dos 70 e poucos graus, só que com operação muito mais silenciosa.

Por fim e não menos importante, em relação ao PCB da placa, não houveram alterações significativas nos componentes utilizados, onde o PCB da placa é um pouco mais curto do que a versão original, o que talvez seja o único ponto positivo até o momento. EDIT 23/11 14:48: Pequena correção a respeito do PCB, que é um pouco mais curto do que a RX 6600M “original”, porém, continua usando os mesmos componentes.

Conclusão

Diante do apresentado, a única conclusão possível de se extrair é que visando cortar custos, pegaram um produto que até então era excelente e introduziram uma série de mudanças extremamente mal planejadas, como, por exemplo, as ventoinhas sem controle de rotação, o que tornou a “nova” RX 6600M irremediavelmente barulhenta, sendo necessário recorrer a adaptações ou gambiarras para resolver o problema.

Além disso, o dissipador perdeu os heatpipes e virou uma peça 100% em alumínio, o qual cobrou sua conta no que diz respeito ao desempenho térmico da placa, que apesar de ainda ter sido aceitável, é claramente inferior à revisão anterior testada no review.

Dito isso, a não ser que você tenha planos em adaptar outro sistema de refrigeração ou ao menos trocar as ventoinhas usadas nessa placa, a recomendação para esse segundo modelo de RX 6600M é que ele seja EVITADO a todo custo, mantendo como viável apenas a primeira revisão, que por sinal, se saiu muito bem em nossos testes.

Novamente, ficam os agradecimentos ao Daniel “Skulltrail” por ceder as fotos e testes para esse artigo e autorizar a postagem desse conteúdo.

Gostou desse artigo? Ele lhe foi útil? Considere contribuir com o crowdfunding ou doação para que seja possível continuar trazendo novos conteúdos aqui na The Overclocking Page!

5 comentários

  1. excelente artigo… acho q a galera não tá comprando mais ou ainda não percebeu… Mas deixa eu te perguntar… se eu trocar as ventoinhas eu vou conseguir controlar a velocidade das ventoinhas… ou vai continuar rodando a 100%

    Curtir

  2. A minha veio esse modelo, estou sofrendo com temperaturas acima de 90 graus e dificuldade de reembolso, queria saber como trocar o sistema de refrigeração dela?

    Curtir

    1. Boa, vc pode comprar um modelo que encaixe para fazer a troca, da uma olhada no Vídeo do Iskandar Souza, ele comprou as ventoinhas e em breve vai fazer a troca.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: