Placas-Mãe Reviews

[Review] X570S Aorus Elite AX – Uma ótima placa mãe topo de linha.

Hoje, testaremos uma placa mãe que a Gigabyte, fabricante taiwanesa, nos enviou para review, tratando-se do modelo X570S Aorus Elite AX... Continue lendo!

Hoje, testaremos uma placa mãe que a Gigabyte, fabricante taiwanesa, nos enviou para review, tratando-se do modelo X570S Aorus Elite AX!

O socket AM4 revolucionou o mercado trazendo os processadores Ryzen para bater de frente com os CPUs Intel quando havia sido lançado em 2017 e com a promessa de manter um alinha de upgrade contínua no mesmo socket por anos, a AMD acabou ganhando uns pontos extras por isso.

Hoje vamos fazer uma análise mais profunda desta placa mãe para vermos se realmente ela vale a pena em comparação a outros modelos para este mesmo Socket.

Mas antes disso vamos dar uma breve olhada em suas especificações técnicas disponíveis pelo fabricante.

Suporte de Processadores:AMD Ryzen 3000 Series, AMD Ryzen 5000 Series
AMD Ryzen 5000-G Series, AMD Ryzen 3000-G Series
Conectores EPS1x 8 Pinos EPS 12V
VRMCPU (V-core): 12-fases
SoC (V-SoC): 2-fases
Memória (V-DDR): 1-fase
6-Layer PCB
ChipsetAMD X570s
Memória: 4x DIMM – 128GB
2133 MT/s até 5400 MT/s – Dual Channel – Topologia Daisy Chain
Gráficos integrados:Varia do processador instalado
1x HDMI 2.1 – 4096x2160p @ 60 Hz
BIOSUEFI BIOS 256 Mbit Flash
Slots PCIe de expansão1x PCIE-x16 4.0 (CPU) – PCIEX16
1x PCIE-x4 4.0 (PCH) – PCIEX4
1x PCIE-x4 4.0 (PCH) – PCIEX2
Slots de armazenamento6x SATA 6 Gb/s (PCH) – Suportam RAID-0, RAID-1 e RAID-10
1x M.2 M2A_CPU (CPU) – PCIe 4.0 x4 até 22110
1x M.2 M2B_SB (PCH) – PCIe 4.0 x4 e SATA III – até 22110
1x M.2 M2C_SB (PCH) – PCIe 4.0 x4 e SATA III – até 22110
Internet1x Realtek 2.5Gbps RTL8125 Ethernet
1x Wi-Fi 6E RZ608 (MT7921K) + Bluetooth 5.2
Portas Traseiras4x USB 2.0/1.1 Tipo-A 480Mbps (PCH)
2x SMA Antenas Wi-Fi (2T2R)
1x HDMI 2.1
4x USB 3.2 Gen 1 5Gbps (PCH)
1x Botão Q-Flash Plus
1x USB 3.2 Gen 2×2 Tipo-C 20 Gbps (ASMedia)
3x USB 3.2 Gen 2 Tipo-A 10Gbps (PCH)
1x RJ-45 Jack
1x Saída optica S/PDIF
5 x Audio jacks
Audio1x Realtek AL1220-VB Codec
Fan Headers6
1x CPU Fan (2A x 12V = 24W)
1x CPU OPT (2A x 12V = 24W)
1x SYS_Fan1 (2A x 12V = 24W)
1x SYS_Fan2 (2A x 12V = 24W)
1x SYS_Fan3 (2A x 12V = 24W)
1x SYS_Fan4_Pump (2A x 12V = 24W)
RGB Headers2x 5V RGB Endereçáveis
2x 12V RGB
Form-Factor: ATX Form Factor

Vamos começar com um breve unboxing da placa mãe para podermos ver os acessórios que ela acompanha junto.

Ao removermos a placa mãe da caixa vemos que ela acompanha 4 cabos SATA 6Gbps, um manual de usuário, um DVD de drivers, embora ninguém deva utilizá-lo, seria mais interessante se fosse um pen drive como vemos em placas mais topo de linha, junto de seu G-Connector que é um adaptador para facilitar a instalação dos pinos do painel frontal.

Algo interessante e legal que a Gigabyte optou em trazer foi o espelho traseiro fixo, desta forma, ajuda os usuários a não esquecerem de instalá-lo em gabinetes.

O Chipset X570

Bom como já vimos em inúmeros reviews, quando este Chipset foi lançado, originalmente ele possuí-a um fan para auxiliar na dissipação térmica de calor, tendo em vista que ele tinha em alguns casos um output térmico próximo de 15W. Já nestas novas levas de placas “X570S“, o S simboliza a ausência deste fan auxiliar, o que de maneira geral foi uma boa notícia, pois querendo ou não, os fans das X570 são propícios a serem os primeiros componentes a apresentar problemas com o decorrer do tempo.

Slots de memória DDR4

Como podemos ver, esta placa mãe possui 4 slots com suporte a memórias do tipo DDR4 (288 pinos) com topologia Daisy Chain com suporte até 128GB, sendo 32GB por cada slot.

A Gigabyte também informa suporte a velocidades próximas de 5400 MT/s, que para DDR4 são insanamente altas, e provavelmente só são alcançadas por kits de memória muito premium.

Para isso a Gigabyte optou em utilizar um PCB de 6 camadas com topologia Daisy-Chain que oferece o melhor balanceio entre performance e disponibilidade de capacidades, tendo em vista que para conseguirem velocidades maiores, seria apenas possível com topologias 1DPC (1 Dimm per Channel) ou seja, tendo metade de seus slots de memória, o que acabaria “limitando” futuros upgrades para usuários, e como se trata de uma placa mainstream e não focada ao ramo de overclocking não era uma escolha tão interessante deixá-la com apenas 2 slots, sendo que eles já possuem placas mães voltadas para esse nicho.

Slots PCIe

Por se tratar de uma placa mãe com chipset topo de linha para o Socket AM4, o que não falta nela são slots de expansão. Nesta placa mãe temos 3 slots PCIe que veremos mais sobre suas alocações a seguir.

Nesta placa mãe, o slot primário que vemos que possui um reforço metálico, possui 16 linhas PCIe 4.0 sendo controlado diretamente pelo processador, porém em alguns casos, ele pode acabar operando em PCIe 3.0 x16 ou até mesmo PCIe 3.0 x8 dependendo da limitação do processador instalado.

Já seu slot secundário, embora seja de tamanho físico x16, ele é eletricamente x4 4.0, e acaba compartilhando largura de banda com o 3º slot PCIe que opera em modo PCIe 4.0 x2, ou seja, quando PCIEX2 (terceiro slot) estiver em uso, o PCIEX4 (segundo slot) vai operar também em PCIe 4.0/3.0 x2. Valendo apenas salientar que ambos slots são controlados diretamente pelo PCH e oferecem suporte apenas a 2-way Crossfire da AMD, embora esse já tenha caído em desuso.

Expansões e Armazenamento

Quando nos referimos a armazenamento hoje em dia, boa parte do que pensamos hoje em dia são os queridinhos SSDs NVMe M.2, e por isso nesse trecho da análise vamos cobrir os principais recursos que essa placa mãe nos oferece em expansão.

Inicialmente vemos que ela oferece 3 slots M.2 para SSDs junto de mais 6 portas SATA III de 6Gbps. O primeiro slot (mais próximo do CPU) possui um barramento PCIe 4.0 de 4 linhas e é controlador diretamente pelo processador, enquanto o 2º e 3º slots são controlados diretamente pelo PCH.

Felizmente não há limitações mesmo ao usar 3 SSDs PCIe 4.0, temos apenas uma limitação ao usar o 3º slot (M2C_SB) com SSDs SATA aonde as portas SATA 5 (SATA3_4) e SATA 6 (SATA3_5) são desabilitadas, fora isso, todos os slots possuem compatibilidade com SSDs M.2 22110 e possuem dissipador de calor.

Conectividades e Internet

Neste trecho da análise vamos ver um pouco mais sobre os recursos de conexão que a placa mãe oferece.

Com relação a rede cabeada esta placa mãe utiliza um C.I. da Realtek, RTL8125BG de 2.5Gbps para sua rede cabeada enquando sua rede sem fio utiliza um chip da MediaTek MT7921K com suporte à Wi-Fi 6E e Bluetooth 5.2.

Recursos do Painel Traseiro

Outro detalhe que sempre devemos levar em conta ao comprarmos uma placa mãe são suas expansões na sua parte traseira, pois existem pessoas que precisam de bastante conectividade de portas USB à outros recursos também, neste trecho do review veremos mais sobre seus conectores traseiros.

Felizmente a Gigabyte deixou uma boa quantidade de portas USBs traseiras para os usuários, sendo elas 4 portas USBs 2.0/1.1 de 480 Mbps gerenciadas pelo próprio PCH, 4 portas USB 3.2 Gen 1 que nada mais são que as antigas USB 3.0 de 5Gbps do tipo A, que também são controladas pelo PCH.

Além dessas, ela possui mais 3 portas USB 3.2 Gen 2 de 10Gbps do tipo A controladas pelo próprio PCH e por último uma porta do tipo C reversível, sendo ela USB 3.2 Gen 2×2 de 20Gbps perfeita para SSDs externos. Neste caso esta porta é controlada por um C.I. dedicado, o ASMedia ASM3241.

Temos também um conector RJ-45 de 2.5Gbps da Realtek junto de uma Rede Wi-Fi 6E de excelente velocidade e alcance, que permite os usuários desfrutarem de conexões mais rápidas de internet e para usos mais profissionais possam ser melhores desfrutados em ambientes com servidores locais aonde pode-se extrair esse total desempenho desses recursos.

Podemos ver também os 6 conectores traseiros do codec de são que são controlados pelo Realtek AL1220-VB Codec que é um chip decente e encontrado em diversas outras placas X570s e X570.

Conectores Internos na placa mãe

Por ser uma placa mãe topo de linha, o que não pode faltar são header para diversas funcionalidades, desde FANs, para itens RGB e portas USBs frontais.

Vemos que ela possui 4 headers RGB para aqueles que adoram um Fru-fru em seus computadores, sendo 2 headers RGB endereçáveis de 5V e mais 2 headers de 12V localizados em pontos estratégicos da placa mãe.

Conectores para fans também são importantes para aqueles que não possuem muito espaço para colocar um controlador a parte e nisso, vemos que essa placa mãe oferece 6 conectores de 4 pinos para Fans, sendo cada conector dando suporte à 24W de potência (12V à 2A).

Além disto temos mais portas para entradas USBs frontais e para outros usos como bombas de liquid coolers etc, ao total, temos 2 conectores USB 2.0/1.1 com suporte até 4 portas USB, 2 conectores USB 3.2 Gen 1 com suporte até 4 portas USBs e um conector do tipo-C frontal USB 3.2 Gen 2 de 10Gbps. Interessante notar é que temos também um conector para uma placa Thunderbolt que a gigabyte oferece separadamente.

Infelizmente, a placa mãe não possui um LED Debug com painel de 2 dígitos para diagnóstico e nem mesmo os leds indicativos de CPU, RAM, BOOT e VGA, o que é algo bem ruim para uma placa dessa faixa de preço e que acaba dificultando ao realizar diagnóstico de algum problema, deixando apenas o usuário com um conector speaker para que possamos ouvir os clássicos Beeps de diagnóstico.

VRM da Placa Mãe

Neste trecho de nossa análise vamos analisar de forma mais profunda o circuito responsável de alimentação desta placa mãe.

Vemos que inicialmente seu dissipador do VRM é bem robusto que promete manter os componentes arrefecidos de forma mais eficiente. Para isso a Gigabyte utiliza thermal pads com uma condutividade térmica de 5 W/mK, onde, infelizmente ambos os dissipadores não são unidos por um heatpipe para uma melhor dispersão de calor, mas isso já seria de se esperar em uma placa deste nível.

Vemos também que a Gigabyte optou em utilizar um design com PCB de 6 layers para melhor qualidade e integridade de sinal, embora já seja algo padrão deles em placas deste nível também.

VRM CPU (V-core)

Este é o VRM responsável por prover a alimentação para os núcleos e threads do processador e neste trecho da análise vamos dar uma olhada neste VRM.

Começando pelo conector de alimentação, aonde vemos que esta placa possui apenas 1 conector de 8 pinos EPS de 12V, e logo após o conector encontramos um indutor de 20nH junto de mais 4 capacitores sólidos de 270µF que servem para eliminar ruídos e prover uma alimentação “mais limpa” para o VRM passar para o processador.

Já na imagem que veremos abaixo, poderemos ver o arranjo de 15 fases do VRM operando em modo 12+2+1 (V-core + V-SoC + V-DDR).

Neste VRM foi empregado um PWM da Renesas RAA229004 cujp é um PWM capaz de controlar até 8 fases de alimentação de forma direta como 8+0, 7+1 ou 6+2 dentre outras combinações. Como neste VRM temos um arranjo de 14 fases para o processador (V-core + V-SoC) é impossível ele controlar individualmente todas as fases de forma simultanea, portanto, a expectativa seria o uso de Doublers ou duplicadores que peguam o sinal do PWM e espelham para 2 ou mais fases…

…Mas como vemos na imagem acima, não há a presença de Doublers, portanto, a Gigabyte decidiu deixar as fases do V-Core em paralelo, ou seja, cada 2 Dr.MOS e 2 indutores é considerado uma fase de alimentação, portanto este VRM seria um VRM “real” de 6+2 fases, porém cada fase de alimentação teria uma capacidade de fornecimento de alimentação muito maior caso fosse apenas 1 individual.

Seguindo em frente vemos que no VRM do V-Core a Gigabyte optou por utilizarem os Dr.MOS da ONSemi modelos NCP252160 cujo são Dr.MOS que possuem um mosfet de alta, de baixa e um gate driver integrado no mesmo encapsulamento.

Estes Dr.MOS são capazes de fornecer até 60A de forma contínua ao trabalhar com uma frequência de chaveamento de 300 KHz, Tensão de 1V e temperaturas próximas de 25ºC, o que é um cenário bem irrealista. Aonde em temperaturas mais elevadas ele poderia fornecer próximo dos 50A de forma contínua. Felizmente este Dr.MOS possuem uma resistência térmica relativamente baixa de 1.8ºC/W (Junction-to-PCB) e conseguem trabalhar com frequência de chaveamento de até 2 MHz, embora na prática deva estar operando em 300 KHz até 500 KHz.

E logo após seus Dr.MOS encontramos um bank com 8 capacitores sólidos de 560µF junto de mais 5 capacitores de tântalo de 330µF para proverem uma melhor alimentação para o processador.

VRM V-SoC

Já este VRM é responsável por prover alimentação do controlador de memória imbutido nos processadores Ryzen, seu Cache L3 dentre diversas outras Rails importantes.

Neste VRM a Gigabyte optou por utilizar outros Dr.MOS, desta vez da fabricante Vishay modelos SiC654A, que são Dr.MOS um pouco mais simples mas ainda sim mais que suficiente para alimentar esta Rail dos processadores, sendo que suportam um corrente máxima de 50A.

VRM Memória (V-DDR / V-MEM)

Neste VRM responsável para prover a alimentação para as memórias DDR4, vemos que é um circuito com apenas 1 fase de alimentação.

Neste VRM da memória vemos que a Gigabyte utiliza um PWM / Buck Converter da Richtek, o “RT8120D” que é um controlador Single-Phase, ou seja que consegue gerenciar apenas uma fase que opera com uma frequência de chaveamento fixa de 300 KHz com suporte a tensões de operações que variam desde 3V até 13.2V. Ele também oferece Over-current Protection e possui Gate-drivers, CIs responsáveis por intermediar a comunicação entre o PWM e os mosfets, integrado internamente.

Vemos também que a Gigabyte utiliza neste VRM, um design com 3 mosfets discretos, 2 mosfets de baixa, e um mosfet de alta. Sendo eles um dos preferidos da Gigabyte os “ONSemi 4C10N” NTMFS4C10N que conseguem trabalhar com uma tensão de até 30V, corrente de até 46A e possuem uma resistência de RDS(on) de 6.95mΩ em 10V o que é bem elevado e pode acarretar em temperatura de operações mais elevadas, mas como se trata de um VRM secundário não irá esquentar tanto devido ser uma rail de baixo consumo.

Além disto estes mosfets possuem uma péssima resistência térmica Junction to Case (R θJC) de 5.3ºC/W que é a quantidade de energia dissipada em forma de calor conforme o componente vai esquentando.

Podemos encontrar também neste VRM um indutor de 1nH junto de 2 capacitores sólidos de 560µF.

BIOS UEFI da Placa Mãe

Neste trecho de nossa análise vamos dar uma breve olhada no BIOS da placa mãe, para vermos seus recursos e funcionalidades.

Podemos observar que a Bios da placa mãe é repleta de recursos desde funcionalidades mais básicas como perfil XMP, controle de Fans, monitoramento e configuração de discos de boots, até opções mais avançadas como configuração de funcionamento do VRM, Load Line Callibration, dezenas de sub-timmings de memórias que podem ser ajustados. Senti falta de algumas funcionalidades como secure erase cujo a placa mãe não disponibiliza para SSDs.

Uma funcionalidade que esta placa mãe possui e é super útil, é o que a Aorus chama de Q-Flash +, aonde a placa mãe permite que seja realizado atualização de Bios sem a necessidade de um processador e uma memória RAM instalada, auxiliando usuários que talvez não tenham uma versão de Bios compatível com o processador que pretendam utilizar.

Não apenas isto, mas esta funcionalidade também auxilia em caso de corrompimento de Bios, aonde pode ser regravado o BIOS, embora eu acho que a Gigabyte deveria ter adicionado um segundo chip de Bios como Backup para uma placa mãe nesta faixa de preço.

E referente ao BIOS desta placa mãe, vemos que o C.I. responsável por armazenar seu firmware é um chip da Macronix NOR Flash modelo MX25U25673G que possui 256Mb de tamanho (32MB) e trabalha com 1.8V.

Bundle de Softwares

A Gigabyte como boa parte de outros fabricantes disponibiliza inúmeros recursos de software para download e utilização em suas placas mãe, neste trecho desta análise daremos uma olhada de forma mais aprofundada neles.

A Gigabyte oferece diversas funcionalidades em seu App center, desde aplicativos para controlador entradas USB, como desativando-as, controle RGB, até gerenciar perfis de fans, aplicativos para atualização de drivers e BIOS dentre demais opções.

BANCADA DE TESTES
– Sistema Operacional: Windows 11 Ghost Spectre
– Processador: AMD Ryzen 9 5950X (16C/32T) (Stock e em OC)
– Cooler: AIO Gamdias Chione E1A 120mm
– Memória RAM: 2 × 16 GB DDR4-3200MHz CL-16 Netac (c/ XMP)
– Placa-mãe: Gigabyte X570s Aorus Elite AX (Bios Ver.: F5c)
– Placa de Vídeo: RTX 3050 Gigabyte Gaming OC (Drivers: 512.xx)
– Armazenamento (OS): SSD SK Hynix Platinum P41 2TB (Firmware: 51060A20)
– Versão drive Chipset AMD X570: 4.03.03.431.

P.S.: Nestes testes foram apenas realizados com o Ryzen 9 5950x tendo em vista que não possuo outro Ryzen 9 disponível para testes, e em uma placa mãe desta faixa de preço não faz sentido utilizar um Ryze 5 ou até Ryzen 7 e infelizmente, não foi possível extrair o máximo de desempenho do processador devido a limitação do sistema de arrefecimento utilizado.

Cinebench R23

Neste trecho da análise faremos um teste mais rápido para vermos a pontuação que esta placa mãe pode extrair do processador ao rodarmos o benchmark do Cinebench R23.

Testes de estresse VRM

Um dos testes mais interessantes que podemos fazer em uma placa mãe é testar um processador em seus limites para vermos se o VRM das placas mães acabam sofrendo thermal throttling ou power throttling e para isso, vamos utilizar o render Barbershop do Blender com o processador em Stock e em Overclock para avaliarmos esta placa mãe.

A temperatura foi aferida por 3 formas, um termopad na parte inferior do PCB do VRM, um termopar em cima do dissipador e foi utilizado o sensor de temperatura do VRM da própria placa mãe.

Vemos que ao usarmos o processador Ryzen 9 5950x em stock, a placa mãe se quer tem problemas para alimentá-lo aonde o VRM nem ultrapassa os 50ºC, aonde ele acaba consumindo cerca de 95A e quase 130W de consumo.

Agora em overclock, ao utilizarmos uma frequência de 4.45GHz em todos os núcleos e threads, um V-core de 1.257V com um consumo de mais de 210W e corrente maior que 150 A, vemos que sua temperatura subiu mas nem ultrapassou os 60ºC o que está muito longe do limite térmico destes mosfets, portanto esta placa mãe com certeza é capaz de segurar processadores topo de linha como este.

Teste Temperatura SSDs

No gráfico de resultados acima vemos que todos os dissipadores preveniu que o SSD entrasse em thermal throttling mantendo assim uma consistência por um maior periodo de tempo.

Podemos observar que ele conseguiu reduzir drasticamente as temperaturas, sendo que apenas seu segundo slots (M2B_SB) que apresentou as maiores temperaturas devido ao fato de ser o slot que ficaria diretamente abaixo da placa de vídeo, que pelo calor expelido nesse região o faz esquentar mais.

Conclusão

Com relação à esta placa mãe, será que realmente pelo preço que é pedido ela vale a pena? Em relação ao desempenho e recursos que ela oferece sim, possui bastante recursos interessante até mesmo para pessoas mais entusiastas, pessoas que procuram vários slots M.2 em uma placa mãe dentre outros recursos, a seguir veremos mais em detalhes suas respectivas vantagens e desvantagens.

VANTAGENS

  • Ótima construção interna
  • Boa quantidade de slots de expansão
  • Acessórios completos para uma placa mãe dessa categoria
  • A BIOS da placa mãe é repleta de funcionalidades que auxiliam o usuários e ofereçam recursos adicionais
  • Componentes utilizados no VRM de boa qualidade encontrado em diversas outras placas mães
  • VRM não sofreu thermal throttling nem power throttling em nossa bateria de testes
  • Boa quantidade de headers inters e conectores no painel traseiro
  • Desempenho em Overclocking Satisfatório
  • Bundle de Software bem completo
  • 5 Anos de garantia diretamente no Brasil

DESVANTAGENS

  • Sofre algumas limitações de slots de expansão como slots SATA e PCIe
  • Preço elevado para essa faixa de desempenho
  • Não possui se quer uma ferramenta de diagnóstico fora o speaker, sendo que placas mais simples até possui LEDs indicativos e nem essa possui

3 comentários

  1. Só review de primeira linha. Parabéns!
    Cadê o * pra enviar uma RTX 4090 para os reviews? Enviam placa pro Adrenaline fazer uma review , como sempre, toda cagada cheia de inconsistências com o resto do mundo.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: